Menor de 12 anos é suspeito de empurrar jovem da Pedra da Gávea

João Marcello Vieira, de 27 anos, havia abrigado o menino e um amigo, moradores de rua, na casa em que vivia com a mãe

Por leonardo.rocha

Rio - Um menino de 12 anos é o principal suspeito da morte de João Marcello Vieira Lago, de 27 anos, empurrado da Pedra da Gávea, Zona Sul do Rio, na última quarta-feira. De acordo com policiais da 16ª DP (Barra da Tijuca), o menor, que estava sendo acolhido por João em sua própria casa, confessou o crime e confirmou que empurrou o jovem para roubar seu celular.

João Marcello morreu após cair do alto da Pedra da Gávea%2C na Zona Sul do RioReprodução Instragram


O crime ocorreu quando João saiu para fazer uma trilha com o menino. Na ocasião, ele teria pedido para que o suspeito fizesse uma foto dele com a paisagem da pedra. O garoto, então, o teria empurrado de uma altura de cerca de 300 metros.

Em entrevista, a mãe de João, Marcia Valentina Vieira, contou que o menino era morador de rua e havia sido acolhido junto com um amigo de 5 anos por seu filho há duas semanas e os tratava como membros da família. Ele morava com a mãe na Barra da Tijuca, Zona Oeste da cidade.

Ainda de acordo com ela, o menor de 12 anos teria empurrado João para roubar o celular e a bicicleta dele. A Polícia Civil informou que o caso está sob sigilo e não deu detalhes das investigações.

Nas redes sociais

Em uma rede social, João postou fotos das crianças e contou como as conheceu. "Esses dois meninos passam uma ou duas semanas na rua e voltam pra suas casas, conheci eles há um tempo lá na Praça do Ó. Esse pretinho é irmão do Robinho da Praça do Ó. Ontem vi os dois lá no Koni uma hora da manhã e sabia que eles iam dormir na rua. Chamei aqui para casa. Dormiram igual a pedra até o meio dia, acordaram, viram desenho e foram à piscina. Eu me vi neles, quando eu era pequeno e ia viajar para a casa de praia de algum amigo. Já almoçaram e agora vou levá-los para dar um tibum na água do mar! Queria poder pagar um colégio bom para eles... Amém", escreveu, há duas semanas.

Os meninos que João Marcello havia levado para casa e chamava de filhosReprodução Instragram


Ele também postou fotos dos garotos deitados no sofá, e fez um selfie com um deles em que a legenda é "meu filho". Na rede social, os amigos lamentaram a morte de jovem.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia