Rio das Ostras vai voltar às urnas

Eleição para a escolha do novo prefeito será realizada no próximo domingo, dia 24. São seis os candidatos

Por O Dia

Pouco mais de 85 mil eleitores vão escolher o futuro político do município da Região dos Lagos
Pouco mais de 85 mil eleitores vão escolher o futuro político do município da Região dos Lagos -

Rio - Rio das Ostras voltará às urnas no próximo domingo, dia 24. Mais de 85 mil eleitores decidirão o futuro político do município. A eleição ocorre em função do afastamento do ex-prefeito Carlos Augusto Balthazar (MDB) por abuso de poder econômico e político nas eleições de 2008. Atualmente, a cidade é governada pelo presidente da Câmara de Vereadores, Carlos Afonso Fernandes.

No total, a cidade de Rio das Ostras conta com seis candidatos. Concorrem ao cargo de prefeito Deucimar Talon (PRP), Marcelino da Farmácia (PV), Gelson Apicelo (PDT), Winnie Freitas (Psol), Flávio Poggian (PSD) e Dr. Fábio Simões (PP), que substitui Carlos Augusto Balthazar (MDB).

Vereador entre 2013 e 2016, e candidato a prefeito na eleição de 2016, Deucimar Talon (PRP) acredita que o maior mal da cidade atualmente é a corrupção. O candidato lembra também que será preciso ter secretariado e servidores preparados para uma boa gestão em tão curto espaço de tempo. "É preciso melhorar de tudo um pouco: saneamento, saúde, educação, segurança. Pretendo reduzir em 50% os salários de prefeito, vice e secretários. Vamos cortar na própria carne", avisa Talon.

GESTÃO EFICIENTE

Para o candidato Flávio Poggian (PSD), que concorre pela primeira vez ao cargo, Rio das Ostras precisa apostar no turismo para voltar a crescer e também ter uma gestão eficiente para equalizar todas as despesas. Ainda segundo ele, a folha de funcionários está inchada. "Se eleito, vou demitir um sem número de funcionários fantasmas comissionados", adianta.

Já a candidata Winni Freitas (Psol) promete governar por meio de conselhos municipais e audiências públicas, que serão deliberativas. Ela também destaca que irá rever diversos contratos da prefeitura. "Minha primeira medida será uma auditoria cidadã das contas e contratos do município, além do cancelamento de licitações fraudulentas, de contratos inúteis e eivados de ilegalidade", conta.

Vice-prefeito por duas vezes, Gelson Apicelo (PDT) credita à incerteza política o atual momento de Rio das Ostras. Ele revela também que a cidade precisa de uma gestão voltada para as necessidades de toda a população. "Vou fazer uma grande auditoria e verificar as finanças do município para saber qual é a realidade e poder fazer o que realmente dá para ser realizado. Dinheiro tem, mas não tem boa administração", critica.

Os candidatos Marcelino da Farmácia (PV) e Dr. Fábio Simões (PP) foram procurados pelo DIA mas não foram localizados pela reportagem.

Galeria de Fotos

Pouco mais de 85 mil eleitores vão escolher o futuro político do município da Região dos Lagos FOTOS DE Divulgação
Marcelino da Farmácia (PV) Divulgação
Gelson Apicelo (PDT) Divulgação
Fábio Simões (PP) Divulgação
Winnie Freitas (Psol) Divulgação
Flávio Poggian (PSD) Divulgação
Deucimar Talon (PRP) Divulgação

Comentários

Últimas de O Dia no Estado