'Maior desafio é a geração de emprego', diz prefeito de Petrópolis

Bernardo Rossi aposta em fortalecimento e ampliação de programas

Por LUIZ ALMEIDA

Bernardo Rossi, prefeito de Petrópolis
Bernardo Rossi, prefeito de Petrópolis -

Rio - Ao chegar à Prefeitura de Petrópolis em meio à grave crise econômica, em janeiro de 2017, Bernardo Rossi precisou "arrumar a casa". Afinal, havia a necessidade de sanear e organizar as finanças, e, assim, planejar o futuro. Passado cerca de um ano e oito meses, o prefeito já faz planos para os próximos anos de governo. "Maior desafio será fortalecer os programas que já temos e ampliá-los. Outro desafio é a geração de emprego e renda", acredita.

O DIA: O senhor chegou à prefeitura durante forte crise econômica. Qual é o balanço depois de um ano e oito meses?

Bernardo Rossi: Ao assumirmos, é claro que precisamos sanear e organizar as finanças, mas sem perder o comando da cidade. A gente, no entanto, estava à frente de alguns municípios do Estado do Rio, com folha de pagamentos atrasada. Hoje estamos contamos com várias emendas parlamentares. São mais de R$ 20 milhões que para serem usados em diversas áreas. E, por estarmos fora do Cauc (Cadastro Único de Convênios), podemos solicitar recursos na Caixa Econômica Federal (CEF) para fazer mais investimentos na cidade. 

Quais áreas serão beneficiadas com novos recursos?

Vai desde pavimentação de ruas até reformas de equipamentos turísticos, passando por obras para garantir a mobilidade urbana, como para melhorar o trânsito em Itaipava e em Corrêas, por exemplo. Recursos também têm sido aplicados em unidades habitacionais. Já vamos entregar mais 700 unidades. Temos ainda outros três chamamentos para a construção de cerca de duas mil novas unidades habitacionais. Os recursos das emendas também garantiram a criação do primeiro Centro de Iniciação ao Esporte do Estado do Rio, no bairro do Caxambu, que é o segundo do Brasil. Além deles, temos investimentos na Saúde.

E quais são eles?

Estamos trabalhando para inaugurar uma nova unidade de pronto atendimento 24 horas em Itaipava, que vai ser batizada de SUE (Serviço de Urgência e Emergência). Temos ainda o programa Melhor em Casa, implantado em 2017, em parceria com o Ministério da Saúde, em que aquelas pessoas que precisam de atendimento médico, mas não podem se locomover, são devidamente atendidas e tratadas. Outro exemplo é o do Hospital Alcides Carneiro, que tem recebido investimentos.

Turismo é um dos pontos fortes de Petrópolis. Como incrementar ainda mais o setor?

A cidade tem ficado cheia nos fins de semana e sempre temos um evento. E atingimos nossos picos de turistas na Bauernfest (Festa do Colono Alemão) e no Natal Imperial este chegou a repercutir até mesmo fora do Brasil. Para incrementar o turismo, a prefeitura tem ampliado a divulgação dos eventos. Pela primeira vez, lançamos o nosso calendário turístico e cultural com antecedência, servindo para que os visitantes e o nosso próprio setor pudesse se programar melhor. Para 2019 já estamos trabalhando na capacitação dos profissionais que vão receber os turistas.

Ajuda o turismo o fato de Petrópolis ter virado Capital Estadual da Cerveja?

Sem dúvida. É um setor importante para a cidade. Além de gerar empregos diretos, é uma área que cresce indiretamente, favorecendo o turismo. Criamos recentemente uma lei para beneficiar o setor e, assim, facilitar a vida dos micros e pequenos empresários do setor. 

Estamos perto do verão, uma época de chuvas fortes. O que a prefeitura tem feito para minimizar os danos causados pelas tempestades? 

Trabalhamos na desobstrução de bueiros e na dragagem de rios. E, desde o ano passado, temos realizado projetos variados, como o Plano Inverno e o Plano Verão. No Vale do Cuiabá ampliamos o número de sirenes. Implantamos também sistema de alertas de elevação do nível dos rios. E lançamos ontem o Defesa Civil nas Escolas, programa que percorrerá todos os colégios municipais para ações interativas voltadas à consciência ambiental. Objetivo é a prevenção contra desastres naturais.

Petrópolis foi eleita neste ano a cidade mais segura do Estado do Rio, conforme o Atlas da Violência, do Ipea. Como garantir a segurança?

Petrópolis tem recebido diversos prefeitos do Estado do Rio para conhecer de perto nossa central de monitoramento. O Centro Integrado de Operações de Petrópolis (Ciop) tem tecnologia de ponta e conta com diversas câmeras de segurança espalhadas pela cidade. E temos conseguido bons resultados. Com as imagens, conseguimos combater e prender criminosos que atuam em assaltos a residências. Colocamos também todos os carros da Guarda Civil para rodar. 

Galeria de Fotos

Bernardo Rossi Divulgação
Bernardo Rossi, prefeito de Petrópolis Divulgação

Comentários

Últimas de O Dia no Estado