Jovem campista sobe ao pódio na Rússia

Ralph Crespo, de Campos dos Goytacazes, conquista a medalha de bronze na WorldSkills Competition 2019

Por O Dia

Ralph Crespo conquistou o bronze na WorldSkills Competition
Ralph Crespo conquistou o bronze na WorldSkills Competition -
Rio - Ralph Crespo levou o nome de Campos dos Goytacazes ao pódio na Rússia. Aos 21 anos, o jovem acabou de conquistar a medalha de bronze na categoria Soldagem da WorldSkills Competition 2019. Maior competição de educação profissional do mundo, o torneio foi realizado na cidade de Kazan. A delegação brasileira também ficou com a terceira posição no ranking geral.
Nascido na zona rural de Campos, Ralph Crespo conquistou o bronze após competir com outros 37 estudantes de diversas partes do mundo. Na prova em Kazan foram avaliados conhecimentos, habilidades e atitudes para superar desafios em sua área de formação — no caso do jovem Campista, na categoria Soldagem.
"Todo o tempo de treino e o apoio dos instrutores fizeram com que eu adquirisse conhecimento necessário para vencer. Me senti preparado para representar o país da melhor maneira possível", avalia o jovem, que se formou em Soldagem pelo sistema Firjan Senai Campos.

Tendo se formado em 2016, o jovem foi selecionado para a Olimpíada do Conhecimento, de 2017, onde conquistou a medalha de ouro. Em seguida, na seletiva WorldSkills (antiga etapa nacional), concorreu com dez estados e desbancou, no desempate, o Rio Grande do Norte. “Ultrapassei o horário de treinamento diversas vezes, mas valeu a pena porque cheguei até aqui", diz orgulhoso. Além de Ralph, o aluno Victor Ribeiro, da unidade Firjan Senai Maracanã, também participou da competição, na categoria Joalheria.
COMPETIÇÃO
Realizada a cada dois anos — a próxima edição será em Xangai, na China —, a  WorldSkills Competition 2019 reuniu um total de 62 países. E o Brasil ficou com a terceira colocação no ranking geral. Foram dois ouros, cinco pratas, seis bronzes e 28 Certificados de Excelência Internacional. A primeira colocação em pontos foi para a China e a segunda para a Rússia. Em 73% das ocupações, o Brasil obteve nível de excelência internacional.

 

Comentários