Interior do Estado do Rio ainda sofre por causa das chuvas

Dique em Campos se rompeu. Municípios atingidos são do Norte e Noroeste

Por Rachel Siston*

Chuvas castigam cidades fluminenses. Cardoso Moreira
Chuvas castigam cidades fluminenses. Cardoso Moreira -

Na madrugada de ontem o dique da Boianga se rompeu em Três Vendas, distrito de Campos de Goytacazes, Norte Fluminense. O acidente aconteceu pelo grande aumento do volume do Rio Muriaé, por causa das chuvas, que atingiram outras localidades do Norte/Noroeste Fluminense desde o fim de semana. A Defesa Civil estadual informou que está monitorando e apoiando o município.

Outras cidades contabilizam os estragos e tentam voltar à normalidade após as fortes chuvas. Todas decretaram situação de emergência. Em Porciúncula, um músico morreu, no último sábado, afogado pela enchente. Em Itaperuna, o corpo de um jovem foi encontrado na segunda-feira, após ele pular no Rio Muriaé, também durante uma enchente, no mesmo dia.

Em Porciúncula, a prefeitura cancelou o carnaval e os esforços e verbas serão concentrados na recuperação da cidade. São 1.500 desalojados.

Na manhã de ontem, uma casa desabou em Cardoso Moreira. Não houve feridos. Outras quatro casas, às margens do Rio Muriaé, também foram interditadas. Atualmente, 5.704 pessoas estão desalojadas.

Em Bom Jesus de Itabapoana, os moradores enfrentam com falta de água potável. Por conta das cheias, a Cedae cortou o fornecimento no último sábado e religou na terça-feira, mas a quantidade ainda não é suficiente para o abastecimento, e cerca de 20 mil pessoas estão sem água. A falta de abastecimento também afeta Italva: 90% da população ainda está sem água potável.

Governo libera R$ 10 milhões

Na terça-feira, o governo do estado anunciou a liberação de R$ 10 milhões para a Defesa Civil comprar e contratar obras e serviços necessários, no período de emergência.

Com a verba, serão adquiridos materiais de assistência humanitária para os municípios. Em nota. a Defesa Civil informou que o Centro Estadual de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (Cemaden-RJ), monitora as condições meteorológicas e os índices pluviométricos da região.

Segundo o Cemaden, os níveis dos rios Pomba, Muriaé e Carangola seguem baixando, mas Itabapoana ainda merece mais atenção.

* Estagiária sob orientação de Gustavo Ribeiro 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Galeria de Fotos

Chuvas castigam cidades fluminenses. Cardoso Moreira Divulgação
Chuvas castigam cidades fluminenses. Cardoso Moreira Divulgação
Chuvas castigam cidades fluminenses. Cardoso Moreira Divulgação
Chuvas castigam cidades fluminenses. Cardoso Moreira Divulgação
Chuvas castigam cidades fluminenses. Cardoso Moreira Divulgação
Chuvas castigam cidades fluminenses. Cardoso Moreira Divulgação
Chuvas castigam cidades fluminenses. Cardoso Moreira Divulgação
Assistentes sociais da prefeitura de Campos entregam cestas básicas aos moradores de Três Vendas Divulgação prefeitura de Campos
O prefeito de Campos, Rafael Diniz (de colete da Defesa Civil), vistoria as intervenções em Três Vendas para evitar que as águas do Rio Muriaé atinjam a comunidade Divulgação prefeitura de Campos
O prefeito de Campos, Rafael Diniz (de colete da Defesa Civil), vistoria as intervenções em Três Vendas para evitar que as águas do Rio Muriaé atinjam a comunidade Divulgação prefeitura de Campos
Caminhões da Defesa Civil de Campos fazem a retirada de pessoas e bens materiais no distrito de Três Vendas Lucas Silva/Divulgação prefeitura de Campos

Comentários