Problemas circulatórios aumentam no inverno

Idade também pode ser um fator determinante para arteriosclerose

Por O Dia

Dores,  cãibras, paralisias, e sensação de apertos podem ser sintomas de arteriosclerose dos membros inferiores.
Dores, cãibras, paralisias, e sensação de apertos podem ser sintomas de arteriosclerose dos membros inferiores. -

Rio - Segundo a Organização Mundial da Saúde, 22% de todas as mortes têm como causa os problemas circulatórios. Com a chegada do inverno, esse dado preocupa ainda mais, já que ocorre a contração ou vasoconstipação das artérias periféricas, o que aumenta a resistência da circulação normal. Uma das causas mais frequentes dos problemas circulatórios é a arteriosclerose. Dores, cãibras, paralisias, e sensação de apertos ou fadigas de músculos durante a prática de exercícios e caminhadas, podem ser alguns dos sintomas.

O problema ocorre por causa do depósito de gordura, cálcio e outros elementos na parede das artérias, que obstruem a circulação sanguínea. Segundo o angiologista e cirurgião vascular, Ricardo Brizzi, o desenvolvimento da doença é lento e progressivo. “O mais perigoso é que normalmente quando há uma obstrução arterial significativa – que leva o paciente a apresentar sintomas por causa da falta de circulação – cerca de 75% do calibre da artéria, já está comprometido”, afirma. 

A arteriosclerose é uma doença sistêmica, que pode acometer diversas artérias do paciente ao mesmo tempo. O quadro clínico de cada um vai depender de qual artéria está mais obstruída. “Com exames como o Eco Doppler, por exemplo, podemos fazer o diagnóstico precoce, possibilitando que o tratamento comece a ser feito antes que a doença se agrave. Em alguns casos, o Eco Doppler é feito durante a consulta do paciente”, explica o especialista.

Segundo a Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular, estudos epidemiológicos mostraram que a arteriosclerose incide com maior frequência em indivíduos que têm características, classificadas como 'fatores de risco'. Entre eles está a idade, uma vez que a doença atinge pessoas na faixa de 50 a 70 anos. Homens também são mais propensos a desenvolver arteriosclerose. “A doença é mais comum no sexo masculino, pois as mulheres são 'protegidas' por causa da ação do hormônio feminino (estrogênio). Porém, após a menopausa essa 'proteção' desaparece, explica Brizzi. 

O especialista frisa que o cuidado com a alimentação e atividades físicas regulares são instrumentos importantes para evitar a doença. Outro problema nas pernas são as varizes. O inverno é a época do ano mais indicada para fazer o tratamento, porque nesse período utilizam-se mais calças compridas e meias calças e as pernas ficam mais protegidas. Com isso o tratamento pode ser realizado evitando-se a exposição ao sol, o que melhora muito o resultado estético final.

Quando ocorrem em veias pequenas e superficiais da perna, elas causam manchas que também são conhecidas como 'aranhas vasculares' que são facilmente tratadas no consultório com uso de diversas técnicas. Vale lembrar que o tratamento de varizes é individualizado e definido pelo médico angiologista e cirurgião vascular.

Últimas de Vida Saudável