Estudantes criam rap para alertar sobre HPV

Segundo Ministério da Saúde, apenas 48% das meninas de todo o país foram vacinadas nos últimos cinco anos

Por RENAN SCHUINDT

Universitários se juntam a rapper para informar sobre vacinação
Universitários se juntam a rapper para informar sobre vacinação -

Rio - Alunos da UniCarioca desenvolveram um clipe educativo para circular nas redes sociais com o objetivo de conscientizar os jovens sobre a importância de tomar a vacina contra o HPV (Papiloma Vírus Humano). Intitulado 'Tem Que Vacinar', o vídeo contou com a participação do rapper Gustavo Prado e do beatmaker Zinho Beats. No material, repleto de animações, os jovens abordam os riscos do HPV e a importância da vacinação como a principal forma de prevenção.

Segundo o Ministério da Saúde, apenas 48% das meninas foram vacinadas nos últimos cinco anos. O objetivo era que a cobertura chegasse a 80%. Devido ao forte apelo entre o público infanto-juvenil, o gênero musical rap foi selecionado. Assim, uniu conhecimento científico, cultura, entretenimento e dicas de saúde. "A música traz questões de interculturalidade, de aprendizagem e de linguagem, além de estar relacionada com a doença e com a campanha. O clipe é para sensibilizar a população em geral", explica Ana Paula Legey, uma das coordenadoras do projeto.

DESAFIO

Para a dupla de compositores, o processo foi inédito e desafiador. "Nunca pensei que fosse desenvolver um rap em cima de um artigo científico. Estudamos bastante o assunto para informar ao máximo os ouvintes", diz Zinho Beatmaker.

De acordo com o calendário, meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos devem se vacinar contra o HPV (com aplicação de duas doses em um intervalo de seis meses). O vírus é um dos principais fatores de risco do desenvolvimento do câncer do colo do útero terceiro tumor mais frequente na população feminina e tipo que ocupa a quarta colocação como causa de morte de mulheres, principalmente na idade produtiva, segundo o Inca.

Comentários

Últimas de Vida Saudável