Dormir pouco aumenta risco de aterosclerose

Mudança de hábitos podem ajudar na prevenção

Por O Dia

Prática de exercícios físicos ajudam a melhor a saúde do coração
Prática de exercícios físicos ajudam a melhor a saúde do coração -

Rio - Pesquisadores espanhóis descobriram que dormir menos de seis horas ou acordar várias vezes durante a noite pode aumentar o risco de aterosclerose assintomática – que endurece e estreita as artérias silenciosamente. Os resultados do trabalho foram recentemente apresentados no congresso anual da European Society of Cardiology.

“O estudo é relevante porque permite uma correlação de um problema frequente no cotidiano das pessoas – que é a dificuldade de se ter uma noite tranquila e normal de sono – com um problema de saúde real e grave: que é a propensão para evoluir com aterosclerose assintomática", afirma o membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV-RJ), Sérgio Meirelles.

O trabalho envolveu quase quatro mil adultos de meia-idade, sendo 63% homens, que foram submetidos a um monitor na cintura por sete dias a fim de registrar a qualidade e quantidade do sono. Os participantes foram divididos em grupos, considerando menos de seis horas muito curto; seis a sete, curto; sete a oito, o tempo de referência; e mais de oito horas, longo. A aterosclerose foi aferida nas artérias da perna e pescoço através de ultrassonografia tridimensional.

Após ajuste para fatores de riscos cardiovasculares e outras classificações que incluíram idade, sexo, atividade física, índice de massa corporal, tabagismo, consumo de álcool, pressão arterial, glicemia, colesterol total, consumo diário de calorias e risco de apneia obstrutiva do sono, os cientistas averiguaram que os pacientes com menor tempo de sono e maior número de interrupções apresentaram propensão à aterosclerose e ao aumento da probabilidade de desenvolver síndrome metabólica.

PREVENÇÃO

Com o resultado da investigação, os pesquisadores sugerem a necessidade de um estilo de vida noturno mais tranquilo e de menor consumo de calorias antes de dormir como boas estratégias de prevenção desse efeito bloqueador das artérias.

"Podemos dizer que o respeito à uma noite de sono tranquila é uma forma de prevenção. Enquanto que as noites mal dormidas são um sinal de que a pessoa não tem uma vida saudável e demonstra maior probabilidade de ter a síndrome metabólica“, diz o especialista.

Ainda segundo Meirelles, a questão é entender os motivos do sono ruim. ”Essa é a pergunta que as pessoas devem se fazer. A aterosclerose e a síndrome metabólica são doenças silenciosas e a pesquisa chama atenção para esses problemas que o indivíduo deve se preocupar e investigar”, finaliza. 

Últimas de Vida Saudável