Bicicleta é aliada dos cariocas no Dia Mundial sem Carro

Especialistas recomendam que prática seja realizada de três a quatro vezes por semana

Por O Dia

Programa do governo estimula uso da bicicleta no Brasil
Programa do governo estimula uso da bicicleta no Brasil -

Rio - Comemorado no dia 22 de setembro, o Dia Mundial sem Carro é uma ação que incentiva as pessoas a deixarem seus automóveis em casa e experimentarem outras alternativas de locomoção, como a bicicleta. A adoção da 'magrela' faz parte do estilo de vida de uma parcela da população que deseja uma vida mais saudável, com menos poluição. Porém, para se tornar um ciclista de carteirinha, é preciso tomar alguns cuidados para que a prática não prejudique o corpo.

"Além das questões relacionadas ao meio ambiente, os principais benefícios da atividade são o alto gasto energético e o fato de ser uma atividade lúdica e mais prazerosa que outras, já que é feita ao ar livre", diz o ortopedista Marcello Serrão. 

Ainda de acordo com o especialista, é preciso ter atenção para evitar a sobrecarga na articulação do joelho e a pressão sobre a coluna lombar e sobre a próstata (no caso dos homens). "Antes de começar esta atividade, é fundamental fazer uma avaliação com cardiologista e ter equipamentos que aliem qualidade e conforto. Um selim acolchoado, que proteja a região perineal é importante, assim como ter uma bicicleta regulada de acordo com o tamanho do ciclista", alerta.

Intensidade

Pacientes cardiopatas ou com insuficiência venosa dos membros inferiores devem evitar as formas mais intensas de ciclismo. O mesmo serve para os pacientes com problemas no joelho, como a condropatia patelar, provoca dores agudas no joelho, ou problemas na coluna vertebral", orienta o médico.

É preciso ficar atento também à frequência que a atividade é realizada. Para evitar danos à saúde, os exercícios aeróbicos, como é o caso do ciclismo, são recomendados numa frequência de três a quatro vezes por semana, num período que varia de 30 a 40 minutos.

Últimas de Vida Saudável