Furnas promove campanha de doação de sangue

Evento também visa estimular a doação de medula

Por O Dia

Funcionários poderão levar amigos interessados em participar das atividades
Funcionários poderão levar amigos interessados em participar das atividades -

Rio - De terça a próxima sexta-feira, Furnas promoverá a 29ª Campanha de Doação de Sangue, na sede da empresa, no Rio de Janeiro, e chamará a atenção para o transplante de medula óssea. A ação será realizada pelo Hemorio, colaboradores voluntários da empresa e o NeoMedula, grupo criado para alertar sobre a importância da doação de medula. Outras instituições engajadas na conscientização, como a Associação Davida Samaritanos e o Pró-Vita, também participarão do evento.

Cada funcionário poderá levar um amigo interessado em participar das atividades. Na ocasião, também haverá palestras educativas e serão atualizados os nomes cadastrados no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (REDOME). "O objetivo é conscientizar para a importância do ato de doar. A doação voluntária é fundamental e pode salvar vidas. Toda pessoa em boas condições de saúde pode doar sangue sem qualquer risco ou prejuízo à sua saúde", reforça Sérgio Ricardo Fernandes da Silva, Gerente de Segurança do Trabalho e Saúde de Furnas.

Desde 2003, a empresa trabalha na conscientização de seus funcionários sobre a importância da doação de sangue. Com o apoio do Hemorio, que disponibiliza profissionais e a infraestrutura necessária para a coleta, a empresa contribui com cerca de 300 bolsas para o banco de sangue a cada ação. "Sabemos que as pessoas têm vontade de doar, mas muitas vezes acabam não fazendo por falta de tempo ou pela dificuldade de se deslocar até o Hemorio. Dessa forma, a nossa campanha ajuda os doadores e contribui com o banco de sangue", afirma Ana Cláudia Gesteira, Superintendente de Comunicação e Relações Institucionais.

Cadastro para doação de medula

Já as ações para doação de medula óssea foram iniciadas em 2012, para estimular a inclusão de novos nomes no cadastro do REDOME. Desde o início, a campanha já conseguiu reunir mais de 800 voluntários doadores de medula óssea. Desses, três funcionários foram identificados como compatíveis e fizeram a doação. A chance de encontrar um doador compatível é de 25% entre irmãos de mesmo pai e mesma mãe. A compatibilidade entre não familiares é de 1 em 100 mil. No Brasil, devido à miscigenação, as chances são ainda menores.

Entre os voluntários identificados está Leonardo José Pereira, eletricista de linhas de transmissão, que fez a doação no ano passado. "Quando recebi o telefonema informando que minha medula era compatível, eu não hesitei em confirmar que seria o doador. Hoje, um ano após a doação, me sinto feliz por saber que contribuí para salvar uma vida e ajudar uma família inteira", diz Leonardo.

 

Últimas de Vida Saudável