É desaconselhável manter barba durante pandemia do coronavírus? Entenda

Epidemiologista alerta para os riscos de ostentar barba, volumosa ou por fazer, nesse período de pandemia

Por iG

Barba em tempos de coronavírus
Barba em tempos de coronavírus -
Rio - De acordo com estudo elaborado pelo Centro para o Controle e Prevenção de Doenças (CDC), nos Estados Unidos, não é aconselhável que homens mantenham a barba durante a pandemia de Coronavírus. Os pelos, ao contrário do que muitos pensam, não ajudam a evitar a doença, mas sim aumentam o risco de infecção. Além de inutilizar o uso de máscaras por quem apresenta suspeita de contágio.
O epidemiologista Paulo Rossi Menezes reforçou, em entrevista ao programa "Combate ao Coronavírus" nesta quinta (19) a recomendação do órgão de prevenção de doenças norte-americano. "A barba e o bigode podem reter as gotículas e potencializar o risco de contaminação", observa. "O ideal é não cultivar barba e bigode neste período".

Os responsáveis pelo estudo do CDC esclarecem, ainda, que mesmo barbas aparadas reduzem a eficácia das máscaras que são recomendáveis para usar em caso de suspeita de contágio pela COVID 19. Os próprios pelos podem atravessar e perfurar o material das máscaras descartáveis e agarrar, em vez de filtrar, as partículas indesejáveis.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O DiaFaça uma contribuição

Comentários