EUA acusam Huawei de ser apoiada pelo exército chinês

Relatório do governo Trump inclui 20 empresas e pode trazer novas restrições

Por Marco Sá

 Empresa tem sofrido sanções
Empresa tem sofrido sanções -
A gigante de tecnologia Huawei, com sede na cidade de Shenzhen, é acusada pelo governo dos Estados Unidos de ser controlada pelo Exército chinês. De acordo com a Reuters, a empresa de equipamentos de telecomunicações faz parte de uma lista com 20 companhias chinesas, incluindo a empresa de vigilância por vídeo Hikvision.

Essa lista de companhias que seriam apoiadas pelo Exército Popular de Libertação ainda inclui operadoras de telefonia e a fabricante de aeronaves Aviation Industry da China. O documento visto pela agência de notícias aponta que Washington passou a preparar novas sanções financeiras.

A Huawei tem sofrido com as restrições impostas pelo governo de Donald Trump, que desencadearam na perda de acesso aos serviços da Google. Deste modo, os celulares fabricados pela chinesa não possuem mais o sistema operacional Android. A nível de hardware, a produção de chips Kirin também ficou prejudicada, fazendo com que a marca optasse pela MediaTek.

Em carta ao secretário de Defesa, Mark Esper, enviada em setembro do ano passado, o senador democrata Chuck Schumer e o republicano Tom Cotton demonstraram preocupações sobre o recrutamento de empresas privadas pelo governo chinês a fim de aproveitar tecnologias civis para fins militares.

Comentários