Bryan Behr - Divulgação/Universal Music
Bryan BehrDivulgação/Universal Music
Por Filipe Pavão*
Rio - Nome promissor da música brasileira, Bryan Behr estava predestinado a ser cantor desde a sua infância quando uma amiga da escola leu a sua mão. Acostumado a compartilhar canções sobre a beleza do amor com os fãs apaixonados, o jovem catarinense, de 24 anos, apresenta um trabalho diferente desta vez. A música "Eu Sou Sentimental", que é o carro-chefe do EP “Capítulo 1” e está nas plataformas desde a última sexta-feira, fala sobre olhar para si e autoconhecimento.
Publicidade
“É engraçado como a gente sempre busca inspiração nas pessoas e nas coisas externas, mas existe um momento na vida de todo mundo, que a gente passa a olhar mais para si, com mais carinho e atenção. Para os próximos anos, acredito que um grande movimento mundial vai ser essa interiorização das coisas, de a gente olhar para dentro. E eu estou nesse processo de me entender. ‘Eu Sou Sentimental’ é a resolução disso”, revela.
A nova música chega em um momento essencial, após um ano tão sensível e diferente como 2020. Com a pandemia da covid-19, Bryan destaca que foi a primeira vez que “a gente se olhou e percebeu que precisava um do outro, mas isso gerou conflito e polarização política e social” porque tudo esteve mais a flor da pele e nós passamos a debater o que estamos sentindo.
Publicidade
“De alguma maneira, essa música vai gerar uma identificação porque as pessoas estão assumindo [seus sentimentos]... Meus avós e meus pais não falavam sobre o que estavam sentindo. Isso é algo muito da nossa geração, a gente fala muito e posta sobre o que sente o dia inteiro. ‘Eu Sou Sentimental’ é esse grito do Bryan de 2020 falando para o mundo que é ‘sensível demais para dar amor, sensível demais para não querer bem’. Traz o significado de olhar para dentro e assumir, que a gente é sentimental mesmo e tudo bem”, reflete.
Relação com a música
Publicidade
A relação de Bryan com a música vem desde a infância, antes mesmo dele ganhar uma guitarra de presente dos pais. Com o tempo, passou a compor as próprias músicas por não conseguir tocar a dos seus ídolos. “A música sempre me curou e ainda é o meu remédio. Quando passo por algo forte e intenso, eu pego o meu violão e tudo se resolve muito fácil e rápido”, revela.
“Todas as vezes que eu me afastava da música, eu sentia que ela me puxava de volta. Em 2016, passei por um período ruim, gravei um vídeo da música “Da Cor do Girassol” e postei sem pretensão alguma, pois precisava que isso saísse de mim e percebi que ela tinha um poder de comunicação espiritual muito forte. Depressão e tristeza são tabus muito grandes e as pessoas não querem falar disso. Então, ‘Da Cor Do Girassol’ era o que as pessoas queriam falar, mas não conseguiam”, relembra.
Publicidade
Com sonoridade pop, que mescla MPB e elementos acústicos, Bryan lançou seu primeiro EP independente em 2018. No ano seguinte, assinou com a Universal Music para produzir o álbum “A Vida É Boa”. Os dois projetos, que se destacaram por abordar o lado positivo do amor e da vida, somam milhões de visualizações no YouTube e audições no Spotify.
“Eu sou uma pessoa que se entrega muito no amor e nos relacionamentos como a letra de ‘Eu Sou Sentimental’ fala. Por isso, sempre foi muito fácil escrever sobre o amor. E é muito importante cantar o amor sobre essa perspectiva perfeita e otimista, mas também é necessário falar sobre as coisas negativas da vida e do amor. O ‘Capítulo 1’ traz essa visão não tão romântica das coisas”, conta o cantor, que trocou paisagens paradisíacas de clipes anteriores pela locação de uma repartição pública para contar a nova história.
Publicidade
“Estava costumado a fazer os clipes sempre em ambientes paradisíacos, pedalando apaixonado nas montanhas... E, de verdade, quem são as pessoas que estão vivendo assim? As pessoas estão de home office, estão chateadas e zangadas. O papel principal de ‘Eu Sou Sentimental’ é trazer esse lado da vida, que também é real e verdadeiro, é o ambiente caótico que a gente se insere de vez em quando. E isso não anula a minha perspectiva sobre a beleza da vida em outras faixas”, reflete.
Próximos capítulos
Publicidade
Com cinco faixas, o nome do EP já entrega que mais novidades vêm por aí. Bryan explica que a ideia é lançar EPs como se fossem capítulos de um livro, mas que ele não sabe se serão dois, três ou mais. Para o cantor, as músicas funcionam como histórias dentro da narrativa de um livro, que tem seus momentos de romance, ação, felicidade e tristeza.
“’Eu Sou Sentimental’ é a parte que o personagem principal está dentro de um ambiente caótico, sentindo demais, emocionado demais, sensível demais. Depois, em outra música, ele pedala apaixonado nas colinas, sabe? Feliz da vida! Já em ‘O Amor Está na Varanda’, ele está contemplativo sobre a vida. Então, eu acho que o nome já entrega tudo. Existem fases, assim como a nossa vida”, diz o cantor, que espera poder retornar aos palcos em 2021 e levar as suas músicas para o Brasil inteiro: “É muito estranho você ser artista e não ver as pessoas. A entrega real do artista é em cima do palco”.
Publicidade
* Estagiário sob supervisão de Tábata Uchoa