Mais Lidas

Taís Alvarenga lança primeiro disco

'Coração Só' é cheio de histórias pessoais. Parte do repertório fala sobre amor, perdas e amadurecimento

Por RICARDO SCHOTT

SONY DSC
SONY DSC -

Rio - Missão difícil essa da cantora, compositora e pianista carioca Taís Alvarenga: estrear com um disco autoral, 'Coração Só' (Sony), em que boa parte do repertório fala sobre amor, perdas e amadurecimento. E justo numa época em que o mercado, especialmente no que diz respeito à música feita por mulheres, está repleto de canções sobre vingança e volta por cima. Não foi algo que passou despercebido à cantora, que passou um bom tempo estudando Trilhas Sonoras de Filme na Universidade de Berklee, em Boston - onde também aprendeu um pouco de regência.

"Para reger de verdade, é preciso estudar muito. Mas, às vezes, eu pego meus livros da faculdade para treinar e fico regendo meus móveis em casa", brinca ela. "E de fato, quando eu voltei de Boston, vi que as pessoas estavam prestando mais atenção à narrativa, não à música por si só. Estava tudo caminhando mais para o lado do empoderamento. Daí foi um caminho natural expor mais as feridas, partir para um disco mais profundo. Sempre falam que as pessoas devem ser felizes, sair para beber e esquecer. Não tô aqui pra esquecer, quero falar do que for necessário. O artista tem que mergulhar".

E-MAIL NUNCA ENVIADO

Taís diz que o repertório do álbum nasceu de histórias bem pessoais, como 'Você Se Enganou', que veio de uma discussão. Ou 'Esse Lugar', que nasceu de um e-mail nunca mandado a um ex-namorado. Como foi conviver com essas palavras nunca ditas e transformá-las anos depois em música?

"Essa relação com esse namorado foi muito intensa. Ele viu uma foto minha depois e mandou um e-mail perguntando se era verdade que eu estava feliz. Eu sou uma pessoa tão intensa que, se você me viu feliz numa foto, pode acreditar que é verdade. Tinha muita coisa para dizer para ele, mas não cabia num e-mail", conta Taís. E as pessoas sabem que o recado é para elas? "Ah, agora elas sabem", brinca, acrescentando que 'Coração Só', a faixa-título, chegou a ser lida por um ex-namorado, para quem a letra foi escrita. Já 'Qualquer Pedaço' foi escrita para o piloto de uma série de TV.

PRODUÇÃO

Taís produziu 'Coração Só' ao lado de Pupillo, da Nação Zumbi. "Tive uma bagagem que me ajudou muito, e que é uma coisa minha e do Pupillo, de compor músicas para sentimentos", conta. "Lembro que, quando eu voltei de Boston, as pessoas me perguntavam se eu tocava piano, e eu dizia que não tocava. Vi palestras de grandes pianistas no curso. Nem me atrevia a falar que eu tocava depois disso", brinca ela, que toca piano desde os 8 anos. "Depois é que comecei a encarar o piano como instrumento".

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Galeria de Fotos

SONY DSC Divulgação
SONY DSC Divulgação
Taís Alvarenga nas fotos de divulgação do disco (capa acima): ela se formou em Trilha Sonora em Boston e ainda estudou regência Divulgação

Comentários