Assistência médica para gerar vida

Por *Aventuras Maternas

Aventuras maternas
Aventuras maternas -

"Lucas foi a 3° fertilização in vitro, 6° tentativa. Foram anos de muita angústia e choro achando que nunca seria mãe. Ele foi o último congelado, de 14 óvulos fertilizados. Foi o último a ser fertilizado, o último a ser biopsiado e o único que sobreviveu e virou meu menino lindo. Muito guerreiro, desde o processo inicial", contou sua mãe, que preferiu não se identificar. A história dela é parte dos mais de 36 mil nascimentos gerados pelas técnicas de Fertilização In Vitro, segundo estimativas do IBGE, em 2018.

Segundo Matheus Roque, médico especializado em Reprodução Humana, a chance de gravidez natural gira ao redor de 15 a 20%. Ou seja, não é tão simples engravidar naturalmente. "É muito frequente mulheres procurarem por atendimento médico, pois não engravidaram nos primeiros meses de tentativa. Porém, a infertilidade é definida com o casal que não consegue engravidar após 1 ano de relações sexuais frequentes, sem uso de nenhum método contraceptivo", explica.

São vários os motivos que levam uma mulher a não engravidar. Em algumas situações, inclusive, ela já nasce com um quadro relacionado à infertilidade. "Podem nascer com alterações anatômicas no trato reprodutor ou também com alterações genéticas relacionadas à infertilidade. Porém, a maior parte dos casos são adquiridos com o passar dos anos", pontua. Além disso, há também os problemas relacionados à ovulação, nas tubas uterinas, endometriose e a idade da mulher. Existe, ainda, outros agravantes, como o tabagismo, o consumo de bebida alcoólica, o uso de drogas e a obesidade.

Em qualquer situação, é sempre fundamental uma adequada avaliação do casal que esteja enfrentando a dificuldade para engravidar. "Nos casais onde são identificados algum fator, avaliamos a possibilidade de correção/reversão do problema", avalia Matheus Roque.

Comentários