Morre Paullo Ramos, artista plástico que fez história em Duque de Caxias

Foi na cidade que ele obteve o primeiro reconhecimento como pintor

Por O Dia

Paullo Ramos morreu aos 70 anos
Paullo Ramos morreu aos 70 anos -
Duque de Caxias - Morreu nesta madrugada o artista plástico Paullo Ramos, aos 70 anos. O fundador da galeria Arte e Fato, a primeira galeria permanente de artes de Duque de Caxias, tinha câncer e estava internado por causa de complicações renais. Nas redes sociais, muitos admiradores já prestam homenagem ao artista que fez história no município da Baixada Fluminense. Não há informações sobre o enterro de Paullo, até o momento.
Márcio Leandro e Paullo Ramos durante uma pausa das gravações do documentário - Divulgação
Em sua biografia, Paullo destaca o sonho de sempre querer "mostrar que a cidade de Duque de Caxias é viável no cenário cultural por apresentar grandes artistas e ativistas de cultura". Foi em Caxias que ele obteve o primeiro reconhecimento como artista plástico, em 1969, ao participar do II Salão Duquecaxiense de Artes Plásticas da Cultura Artística, organizado por Carlos Ramos. Desde então, suas obras têm recebido reconhecimento. Paullo ganhou menções, prêmios e comendas por participar de exposições por todo o Estado do Rio de Janeiro e também fora dele, seja no Brasil, no Reino Unido e em Tokyo.
Paullo Ramos ( o mais alto) e Márcio Leandro, roteirista de documentário sobre o artista, na abertura da exposição - Divulgação
A trajetória do artista plástico foi objeto também do documentário “Paullo Ramos: 50 anos de pinceladas”, de Márcio Leandro de Oliveira. Assim como muitos trabalhos voltados para a área cultural, o diretor buscou, no passado, auxílio financeiro para finalizar a obra. A meta era arrecadar R$ 5 mil. Nos bate-papos gravados, Paullo Ramos contou sobre o convívio com a psiquiatra Nise da Silveira, fundadora do Museu do Inconsciente, e o uso da arte para que autistas possam se expressar. 

Galeria de Fotos

Paullo Ramos morreu aos 70 anos Reprodução Facebook
Paullo Ramos ( o mais alto) e Márcio Leandro, roteirista de documentário sobre o artista, na abertura da exposição Divulgação
Márcio Leandro e Paullo Ramos durante uma pausa das gravações do documentário Divulgação

Comentários