Duque de Caxias atinge o primeiro lugar no ranking das cidades que mais exportam no Brasil

China e Espanha são os principais parceiros comerciais da cidade da Baixada Fluminense

Por O Dia

Refinaria Duque de Caxias (Reduc) contribuiu para o desempenho de alto nível conquistado pelo município no primeiro semestre
Refinaria Duque de Caxias (Reduc) contribuiu para o desempenho de alto nível conquistado pelo município no primeiro semestre -
Duque de Caxias - A cidade da Baixada Fluminense ficou em primeiro lugar no ranking de exportações do país. Em 2019, Duque de Caxias teve uma receita total de US$ FOB 10.436,79 milhões, além de um superávit de US$ FOB 8.060,88 milhões, ficando em segundo lugar entre os principais exportadores do estado e do Brasil.

Agora, na primeira metade de 2020, Caxias conseguiu liderar a exportação, com US$ FOB 5.958,34 milhões — e com uma queda de -8,8% com relação ao mesmo período do ano anterior.

O município tem 41,4% de participação nas exportações do estado do Rio de Janeiro e 4,9% no país. Atualmente, seu saldo permanece em superávit, com US$ FOB 5.024,93 milhões.
Principais produtos exportados
Confira abaixo a lista dos principais produtos exportados pela cidade de Duque de Caxias:

- Óleos brutos de petróleo ou de minerais betuminosos (US$ FOB 8,9 bilhões)
- Óleos de petróleo ou de minerais betuminosos, exceto óleos brutos; preparações não especificadas nem compreendidas noutras posições, contendo, em peso, 70% ou mais de óleos de petróleo ou de minerais betuminosos, os quais devem constituir o seu elemento (US$ FOB 532 milhões)
- Polímeros de etileno, em formas primárias (US$ FOB 49,5 milhões)
A China aparece como primeiro lugar entre o quadro de principais compradores. Entre janeiro e julho, foram totalizados US$ FOB 3,5 bilhões em exportações para os chineses, que alcançaram a marca de US$ FOB 6,5 bilhões no ano passado. Em segundo lugar, aparece a Espanha que, em 2019, apareceu na nona posição, mas que teve uma grande subida nessa primeira metade de 2020. Com 5,9% de participação, teve receita de US$ FOB 354 milhões. Logo após, aparecem os Países Baixos, também conhecidos como Holanda, com 5,9% e US$ FOB 349 milhões.

Comentários