Mais Lidas

Carli saboreia um momento glorioso, com gol e primeiro título

Um dos heróis da conquista do Carioca, zagueiro argentino comemora identificação com o Botafogo

Por MARCELO BERTOLDO

Joel Carli posa com a bandeira do Fogão, ao lado dos filhos e da esposa: volta por cima e volta olímpica
Joel Carli posa com a bandeira do Fogão, ao lado dos filhos e da esposa: volta por cima e volta olímpica -

Rio - O destino reservou a Carli o momento mais glorioso da carreira na final do Campeonato Carioca. Foi dele o gol 'feio', segundo as próprias palavras, que deu sobrevida ao Botafogo no clássico diante do Vasco e levou a decisão para os pênaltis. Carli nunca se esquecerá do domingo, 8 de abril, dia em que ergueu a primeira taça de campeão na longa carreira.

"Foi uma conquista muito emocionante, do jeito que foi... Mas mereço, eu mereço. Não sou de falar de mim, mas trabalho muito dentro e fora de campo. Sinto a satisfação de que todo o trabalho valeu e posso comemorar", disse o xerife argentino.

Ao lado da mulher, Mariela, e dos filhos, Avril e Valentín, Carli celebrou em alto nível a redenção no Botafogo. Titular em 50 jogos em 2017, o zagueiro perdeu a posição para Marcelo Benevenuto durante o Carioca e só reapareceu no time na semifinal contra o Flamengo. Ele se manteve entre os 11 no primeiro jogo da decisão e foi o escolhido do técnico Alberto Valentim para reassumir a braçadeira de capitão no domingo, no lugar do suspenso Rodrigo Lindoso.

"Estou em um clube grande. Tenho que estar sempre preparado quando o treinador precisar. A oportunidade chegou. Recebi um presente do céu. O Botafogo é campeão, merecidamente. É um clube que tem trabalho, tem feito as coisas certas. Nesse caminho, as coisas andam. Sem dúvida tenho uma ligação muito forte com o Botafogo e sou muito grato", admitiu Carli.

HOMENAGEM E VIDÊNCIA

O quinto e mais importante gol de Carli pelo Botafogo foi dedicado ao pai, Hugo. No auge da emoção, ele repetiu o peculiar caminhar do pai, que acompanhou a final da Argentina. O zagueiro abandonou a posição no fim e se aventurou no ataque ao lado de Pimpão, Brenner e Kieza. Com 1,91m, o centroavante de treino confidenciou a Leo Valencia, já expulso, a previsão de que algo de importante estava para acontecer para o Botafogo.

"Perguntei quanto tempo faltava. Leo (Valencia) respondeu: 'Dois minutos'. Disse que pressentia algo. Quando acabou o jogo, ele disse que eu estava certo. A gente merecia. O Botafogo mereceu. As coisas não são fáceis, mas conseguimos. É futebol. Não podemos desistir nunca. Todos estão de parabéns", contou Carli, emocionado.

 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários