Empate sob medida para o Botafogo

Em jogo de poucas emoções, Alvinegro segura o Cruzeiro, no Mineirão, e sobe para a sexta colocação no Brasileiro

Por O Dia

Gustavo Bochecha recebe a marcação de Jadson, ex-Fluminense
Gustavo Bochecha recebe a marcação de Jadson, ex-Fluminense -

Botafogo e Cruzeiro fizeram um jogo sem graça e ficaram no 0 a 0 no Mineirão, mas não dá para dizer que o torcedor alvinegro está chateado com o que viu. Na primeira partida após a Copa América, o Glorioso mostrou clara evolução e encarou de igual para igual um dos candidatos.

De quebra, o time de Eduardo Barroca ainda chegou a 16 pontos e subiu da sétima para a sexta colocação do Campeonato Brasileiro, contando com a ajuda do rival Flamengo, que goleou por 6 a 1 o Goiás. Na próxima rodada, terá um grande desafio pela frente: encara o vice-líder Santos, domingo, no Nilton Santos.

Como sinalizava o treinador nas entrevistas durante a semana, o Botafogo cumpriu o objetivo de não deixar o Cruzeiro dominá-lo. Se não teve uma atuação brilhante, o time pelo menos soube trabalhar bem a bola e cozinhou o adversário para conquistar um pontinho precioso fora de casa.

Desde os primeiros minutos, foi o Alvinegro quem ditou o ritmo, marcado por muita aplicação tática e oportunidades escassas. Ainda assim, a Raposa teve as melhores chances do primeiro tempo. Aos 27, Thiago Neves deixou David cara a cara com Gatito, mas o atacante furou na hora de finalizar. No fim da primeira etapa, Pedro Rocha serviu Dedé, mas Marcinho apareceu para salvar a meta na pequena área.

O início foi ruim, mas dava para piorar. No segundo tempo, o Botafogo passou a dominar o adversário, mas a lentidão sanava qualquer chance de abrir o placar. A aposta era nas arrancadas de Alex Santana pelo meio de campo, mas foi pouco para furar a defesa bem organizada do técnico Mano Menezes.

Numa tentativa de preencher a área do Cruzeiro, Barroca sacou o apagado Erik e promoveu a estreia do centroavante recém-contratado Victor Rangel. Nada mudou. O time teve uma oportunidade de perigo aos 38 minutos, quando Alex Santana serviu Rodrigo Pimpão, livre na entrada da área, mas o atacante chutou mal e acertou a rede pelo lado de fora.

Ao fim da partida, os jogadores do Botafogo mantiveram o voto de silêncio enquanto os salários atrasados não são quitados. O único a falar foi o técnico Eduardo Barroca, em coletiva, e ele se mostrou satisfeito com o que viu em campo.

"Meu lado é preservar o lado desportivo. Crescemos no segundo tempo. Crescimento físico. Estou satisfeito com aquilo que os jogadores fizeram. Botafogo fez uma partida linear. Quarta vez em dez jogos que não sofre gols no Brasileiro", disse o treinador.

Comentários