Botafogo trabalha para reencontrar o caminho das redes contra o Atlético-MG

Inofensivo no ataque, time precisa de uma solução com urgência

Por O Dia

Joel Carli
Joel Carli -


O Botafogo foi para a parada da Copa América com uma surpreendente campanha no Campeonato Brasileiro, à época, em sexto lugar, com 15 pontos, em nove jogos. Mas sofria críticas porque tinha pouca força ofensiva, dever de casa assumido pelo técnico Eduardo Barroca para o longo período de treinos.
O problema é que, após o retorno, nada foi apresentado em campo. O time alvinegro segue sem praticamente conseguir criar, apesar das tentativas do treinador em dar um pouco mais de poder de ataque.
Antes da parada, revés para o Grêmio, em casa, por 1 a 0, sem quase nada a destacar. Depois, 0 a 0 com o Cruzeiro, no Mineirão, com muita lentidão na transição do setor defensivo para o ofensivo, e derrota de 1 a 0 para o Santos, de novo no Niltão, e sem praticamente ameaçar o adversário.
Resultado: mais de 270 minutos de decepção para a torcida. Apenas cinco chutes na direção do gol e... só. "É responsabilidade minha achar soluções", assumiu Barroca. "Preciso encontrar a forma de fazer com que a gente crie mais".
E isso é urgente. Amanhã, às 21h30, no Nilton Santos, o Botafogo recebe o Atlético-MG pelas oitavas de final da Copa Sul-Americana. A vitória é fundamental para garantir uma vantagem para o jogo de volta, na outra quarta-feira, no Estádio Independência.
De volta à coletiva após o silêncio do elenco em protesto por salários atrasados, o capitão Joel Carli reconheceu que o time quase não cria: "Sabemos que estamos passando por dificuldades, ter a posse e não conseguir agredir o rival. Temos que caprichar porque estamos tendo muito poucas chances de gol". O zagueiro chamou a atenção para a importância de o time dar a volta por cima logo. "Sabemos que é uma outra competição. Em casa, temos que ganhar de qualquer jeito", advertiu Carli.
Desfalque na defesa
O técnico Eduardo Barroca terá um problema para o jogo de amanhã contra o Atlético-MG, no Nilton Santos. Emprestado pelo Galo, o zagueiro Gabriel não poderá estar em campo, a não ser que a diretoria alvinegra pague a multa prevista em contrato, hipótese já descartada.
Sem Gabriel, Marcelo voltará a formar a dupla de zaga ao lado de Joel Carli. O argentino não vê problema e mostra confiança: "A única diferença é que o Marcelo joga mais pela direita, mas estamos treinando muito isso."
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários