Após fracasso com Touré, dirigente do Botafogo não pensa em mais estrelas: 'Trauma'

Clube alvinegro não gostou do comportamento do meia durante a negociação

Por O Dia

Yaya Touré
Yaya Touré -
Rio - A negociação entre Yayá Touré, Botafogo e Vasco continua rendendo discussões entre torcedores e imprensa. Nesta quarta-feira, o membro do comitê executivo do clube, Carlos Augusto Montenegro, afirmou, em entrevista ao 'Esporte Interativo', que não pretende mais contratar grandes estrelas para o clube. A confusão envolvendo o meia marfinense teria causado um trauma no Alvinegro.

"Foi uma decepção e uma surpresa, aprendemos muita coisa. Posso garantir que negociamos com a pessoa certa. Começou em fevereiro, março, parou porque a mulher não queria vir para cá. Tentamos outros jogadores, ele ficou com ciúmes e nos procurou para negociar. Algum amigo dele conhecia o candidato do Vasco, meio fanfarrão, propôs o acordo, talvez tenha colocado grana. Depois disse que não vinha mais, pediu desculpas ao Botafogo", disse Montenegro, que completou:

"Uma coisa que nos atrapalhou muito foi o Honda, que foi tão correto e firme na negociação que talvez por isso tenhamos sido infantis com o Yaya Touré, que fez uma molecagem. Ficou a decepção. Então ele fica por lá, nós ficamos por aqui. Ele não pisa mais no Botafogo. Não estamos pensando em mais ninguém de fora, ficamos traumatizados. O trauma tem que passar. Não adianta pensar em Obi Mikel na pandemia. Com a volta vemos o que aparece", encerrou.

Comentários