Messi diz que permanece na seleção argentina e detona arbitragem na derrota para o Brasil

Atacante do Barcelona lamentou também a falta de eficácia no ataque

Por AFP

Messi: compromisso com seu país
Messi: compromisso com seu país -
Minas - Apesar da derrota de 2 a 0 contra o Brasil na semifinal da Copa América e de mais uma vez deixar de conquistar um título para seu país, Lionel Messi reiterou nesta terça-feira que vai seguir "ajudando" a seleção argentina.
"Se tenho que ajudar por algum lado, eu vou fazer. Me senti muito bem com este grupo", declarou o astro após a partida."Vem uma geração boa, importante, que mostrou que ama a seleção e que quer ficar. Há um futuro e uma base muito grande para a qual é preciso dar tempo. É preciso respeitá-los", disse aos jornalistas.
"Estes garotos fizeram um sacrifício enorme. Merecem respeito. A Argentina tem material para seguir crescendo", insistiu.Sobre a partida contra o Brasil, Messi destacou: "Muito além do resultado, hoje demonstramos estar à altura" de um superclássico. "Acho que fizemos uma grande partida. Fizemos um esforço muito grande e eles não foram superiores a nós", acrescentou.
O atacante do Barcelona lamentou também a falta de eficácia no ataque: "Nós tentamos sempre, eles não nos atacavam. Mandamos duas bolas na trave, não conseguimos concretizar as que tivemos".E por último, reclamou da atuação do árbitro equatoriano Roddy Zambrano:
"Acho que houve dois pênaltis que não foram marcados"."Houve jogadas claras que em nenhum momento consultaram o VAR", acrescentou, em referência a um possível pênalti de Arthur sobre Otamendi e ao segundo gol, marcado por Roberto Firmino em uma jogada na qual os argentinos reclamaram de uma falta na perda da bola no início do lance.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários