Mais de 20 mil idosos já foram vacinados contra gripe em Maricá

A partir de 16/04, a campanha de vacinação passa a ser direcionada também a profissionais das forças de segurança e salvamento, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais

Por O Dia , O Dia

Vacinação
Vacinação -
Maricá - Iniciada em 24 de março de 2020, em razão da pandemia da COVID-19, a vacinação contra o vírus influenza (H1N1) já imunizou mais de 20 mil idosos em todo o município de Maricá. O alcance, comemorado pela Secretaria de Saúde, se deve em grande parte ao desempenho das quase 30 equipes volantes, encarregadas da campanha de vacinação domiciliar de idosos da Prefeitura, que até o dia 22 de maio devem continuar percorrendo todos os cantos da cidade.

A secretaria pede às pessoas que conheçam ou tenham em casa alguém com idade igual ou superior a 60 anos e que ainda não tenha sido vacinado que ligue para os números (21) 20422284 ou (21) 991069298 e confirmem o respectivo cadastro. Ambos os telefones estão disponíveis para atendimento de segunda a sexta-feira, das 08h às 12h e das 12h30 até 18h.

Segundo avaliação da Secretária de Saúde, além de reduzir o risco de exposição ao novo coronavírus, a campanha de vacinação domiciliar de idosos, considerados um grupo de risco, conseguiu solucionar outras dificuldades para a vacinação como, por exemplo, a falta de locomoção ou de mobilidade, problemas decorrentes de deficiência visual, entre outras.
“É muito importante que todos fiquem atentos ao nosso cronograma de vacinação, pois a última fase da campanha foi alterada devido a ações do Ministério da Saúde”, anunciou Simone Costa, secretária de Saúde. “Independentemente do novo planejamento, continuaremos realizando a vacinação direcionada para as pessoas acima de 60 anos e profissionais da Saúde,”, frisou a secretária.

A partir de 16/04, a campanha de vacinação passa a ser direcionada também a profissionais das forças de segurança e salvamento, portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais, funcionários do sistema prisional, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas, população privada de liberdade, caminhoneiros, motoristas de transporte coletivo e portuários.

Na terceira e última fase, prevista para 09 de maio, será a vez de professores de escolas públicas e privadas, crianças de seis meses até menores de seis anos de idade, gestantes, puérperas, povos indígenas, adultos de 55 a 59 anos de idade e pessoas com deficiência.

Comentários