Mais Lidas

EUA afirmam que podem atacar novamente, mas esperam que não seja necessário

Nikki Haley discursou durante reunião de emergência do Conselho de Segurança da ONU para discutir o ataque da noite de ontem

Por lucas.cardoso

Washington - A embaixadora dos Estados Unidos para a Organização das Nações Unidas, Nikki Haley, afirmou nesta sexta-feira que os EUA estão preparados, se necessário, para realizar mais ataques aéreos em território sírio, "mas esperamos que isso não seja necessário". Haley falou durante reunião de emergência do Conselho de Segurança da ONU para discutir o ataque da noite de ontem dos país contra uma base aérea controlada pelo regime sírio.

Os Estados Unidos lançaram cerca de 60 mísseis em direção a uma base aérea da SíriaEfe

Haley defendeu a ação americana, dizendo que os EUA tinham "todas as justificativas" para realizar um ataque aéreo, dias após o regime da Síria realizar um ataque com armas químicas no país. A embaixadora americana disse que os EUA desejam, porém, uma solução política no caso.

A autoridade dos EUA afirmou que o Irã e a Rússia "têm responsabilidade pelas atrocidades na Síria". Segundo ela, o presidente sírio, Bashar al-Assad, fez o ataque químico sabendo que Moscou o apoiaria. Agora, Haley disse que "o mundo está esperando que a Rússia aja com responsabilidade" e reveja o apoio a Assad depois do ataque com arma química.

Tensão EUA X Rússia

O Ministério da Defesa da Rússia anunciou oficialmente ao Pentágono o fechamento da chamada "linha direta" para prevenir acidentes entre os aviões russos e norte-americanos na Síria a partir deste sábado.

O comunicado foi feito pelo porta-voz do Ministério, general Igor Konashenkov. O acordo de notificação entre os dois países estava em vigor desde 2015, mas com o ataque feito por Donald Trump nesta quinta-feira foi revogado.

Com informações da ANSA

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia