Mais Lidas

EUA apresentarão projeto de sanções contra Coreia do Norte; Rússia se opõe

O Conselho de Segurança das Nações Unidas se reuniu em uma sessão de emergência convocada pelos americanos, pelo Japão e pela Coreia do Sul

Por lucas.cardoso

Projétil de médio alcance lançado pela Coreia do Norte nesta terça é o primeiro teste intercontinental do paísAFP

Washington - Os Estados Unidos vão apresentar no Conselho de Segurança das Nações Unidas (CSNU) um novo projeto de resolução para impor sanções à Coreia do Norte após o lançamento de seu primeiro míssil balístico intercontinental, informou o embaixador dos EUA na ONU Nikki Haley nesta quarta-feira.

"O laçamento da Coreia do Norte de um ICBM (míssil balístico intercontinental, na sigla em inglês) é uma clara e forte escalada militar", disse Haley no encontro de emergência do conselho após o teste de míssil que Kim Jong-Un chamou de um presente aos "bastardos americanos".

"Nos próximos dias apresentaremos ao Conselho de Segurança uma resolução que aumenta a resposta internacional de forma proporcional à nova escalada da Coreia do Norte", declarou. 

Haley afirmou ter conversado com o presidente americano, Donald Trump, sobre o uso de restrições comerciais aos países que mantêm relações com a Coreia do Norte. "Os Estados Unidos estão preparados para usar toda a capacidade para nos defendermos e os nossos aliados", disse.

"Uma das nossas capacidades reside nas consideráveis forças militares. Se tivermos que usar, as usaremos. Mas nós preferimos não ter que ir nessa direção", assinalou Haley.

O presidente norte-americano, Donald TrumpAFP

O Conselho se reuniu em uma sessão de emergência convocada pelos Estados Unidos, pelo Japão e pela Coreia do Sul para encontrar uma forma de responder ao teste do ICBM feito na terça-feira, que os especialistas disseram poder alcançar o Alasca.

A França declarou o seu apoio a uma nova resolução. O embaixador François Delattre disse que deveria "esclarecer o apoio ao endurecimento e fortalecimento das sanções contra o regime da Coreia do Norte".

O Conselho de Segurança adotou duas resoluções no ano passo a fim de pressionar Pyongyang e fazer com que o líder Kim Jong-Un não tivesse os recursos necessários para os programas militares.

Essas resoluções restringiram significativamente as exportações de carvão da Coreia do Norte, uma importante fonte de receita, os bancos e as pesquisas obrigatórias de toda a carga para e da Coreia do Norte.  No total, seis conjuntos de sanções foram impostos à Coreia do Norte desde o teste de um dispositivo atômico em 2006. 

A Rússia, no entanto, disse se opor a essas novas sanções e que uma opção militar era "inadmissível". "Todos devem reconhecer que as sanções não resolverão o problema", disse o embaixador russo Vladimir Safronkov na reunião. 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia