Coruja-orelhuda machucada é resgatada na varanda de uma casa no Barreto

Moradores ligaram para 153, o número do CISP, que enviou guardas ambientais para buscar o animal

Por O Dia

Bichinho foi levado para tratamento no Centro de Recuperação de Animais Silvestres em Vargem Pequena, na Zona Oeste do Rio, e passa bem
Bichinho foi levado para tratamento no Centro de Recuperação de Animais Silvestres em Vargem Pequena, na Zona Oeste do Rio, e passa bem -
Niterói - Depois da preguiça e da jiboia, mais um animal silvestre foi resgatado na cidade esta semana e acolhido para tratamento e reinserção ao seu habitat. Desta vez uma coruja-orelhuda estava na varanda de uma casa em uma vila no bairro do Barreto, na Zona Norte, com um pequeno machucado na asa, e foi levada por agentes da Coordenadoria Ambiental da Guarda Municipal para o Centro de Recuperação de Animais Silvestres em Vargem Pequena, bairro carioca da Zona Oeste, para tratamento. Contudo, seu estado é considerado muito bom. 
Os agentes da Prefeitura chegaram até o local através de uma ligação feita pelo morador da casa para o telefone 153, que atende no Centro Integrado de Segurança Pública (CISP) - procedimento indicado a todos que encontrarem ou avistarem um animal silvestre em área urbana.
“Os agentes são treinados para o resgate e para os primeiros socorros. A partir daí, encaminhamos o animal para tratamento ou para soltura em seu ambiente natural se for o caso. Neste caso da coruja, como ela está com um pequeno ferimento na asa, nós a levamos para o Centro de Recuperação, que é um de nossos parceiros", explica o subinspetor Jociley Pereira, integrante da Coordenadoria Ambiental da Guarda.
A Coordenadoria resgatou 2.108 animais silvestres em diversas áreas da cidade somente em 2019, um aumento de 63% em relação ao ano de 2018. Em 2017 foram 914 animais resgatados. Já em 2018 o número pulou para 1.287. Entres os animais resgatados pelo grupamento no último ano estão gambás, corujas, morcegos, lagartos, capivaras, gaviões, jiboias, maritacas, corujas, bichos-preguiça, tatus. 
De acordo com informações da Guarda Ambiental, o aumento nos resgates se deve a um maior acionamento do cidadão ao serviço e a existência de extensa área verde protegida no perímetro da cidade. Niterói tem, atualmente, 56% do seu território composto por Unidades de Conservação e áreas ambientalmente protegidas por conta do Programa Niterói Mais Verde, implantado pela Prefeitura em 2014.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários