PSDB Niterói cancela apoio a Bruno Lessa, José Paulo Pires desiste e Carlos Jordy reivindica candidatura

Cenário político municipal ainda pode reservar novidades até dia 16, data-limite para as convenções partidárias que definirão candidatos do próximo pleito

Por O Dia

Carlos Jordy e Antonio Rayol
Carlos Jordy e Antonio Rayol -
NITERÓI - Novos fatos nestes últimos dias já mudaram o cenário político para o pleito de novembro. Com a realização das convenções dos diretórios partidários municipais ocorrendo desde a semana passada até a data-limite, que será amanhã (16), para o anúncio de todas as candidaturas, coligações e apoios, teve pré-candidato se retirando e também reivindicando chapa própria.
Bruno Lessa (DEM) perdeu o apoio do PSDB, segundo o presidente regional do partido, Paulo Marinho, porque rompeu a estratégia de ser cabeça de chapa, aliando-se como vice ao prefeitável pelo PSD, Felipe Peixoto, partido pró-Bolsonaro, com o qual Marinho desfez relações. “Com a decisão do vereador em compor como vice de Felipe, o PSDB não acompanhará a decisão do DEM em Niterói”, justificou a Executiva Estadual do PSDB. O vice-prefeitável niteroiense prefere não se pronunciar até ser notificado oficialmente da decisão. Felipe Peixoto publicou em seu Twitter que Marinho pode não apoiar a chapa Felipe-Bruno, mas o restante dos correligionários do PSDB aprova tal aliança.
Paulo Marinho foi eleito primeiro-suplente de senador pelo PSL do Rio de Janeiro em 2018 na chapa do senador Flávio Bolsonaro e teve protagonismo na campanha do presidente Jair Bolsonaro, mas os dois brigaram em 2019 após a demissão de Gustavo Bebianno da Secretaria-Geral da Presidência, amigo de Marinho de longa data e o responsável por lhe apresentar Bolsonaro em 2017. O presidente do Diretório Municipal do PSDB de Niterói, Sergio Artur, não reconhece a decisão. Em nota, disse que “a estadual está agindo de forma monocrática e arbitrária em clara afronta à democracia”.
Carlos Jordy (PSL) decidiu requerer a disputa pela Prefeitura de Niterói - desejo que sempre manifestou publicamente. Enviou ontem (14) notificação sobre o assunto ao presidente de seu Diretório Municipal, o delegado de Polícia Federal Deuler da Rocha, que é o cabeça de chapa do partido, tendo o empresário Alexandre Ceotto (Republicanos) como vice, oficializados na convenção do partido realizada ontem (14). No documento, em que argumenta com base na lei eleitoral e no estatuto partidário, avisa que levará o caso à Justiça se sua proposição não for ouvida nem votada. Na ocasião, o delegado de Polícia Civil José Paulo Pires, até então divulgado como cabeça de chapa do partido à Prefeitura pelo PMN, retirou a candidatura própria e anunciou que apoiará a chapa Deuler-Ceotto.
O PSL vive um "racha" desde que o presidente da República, Jair Bolsonaro, rompeu com a Executiva Nacional liderada por Luciano Bivar e saiu da legenda. Do seu lado ficou o deputado federal niteroiense Carlos Jordy, do mesmo partido, que é um personagem político forte na cidade e até mês passado tinha uma legião de conterrâneos fazendo pressão para sua candidatura à Prefeitura. Ele não apoia a candidatura de Deuler.
(VEJA FOTOS NA GALERIA AO FINAL DA MATÉRIA)
RELEMBRE OS FATOS
O PDT e o Solidariedade fizeram as suas, respectivamente, nos dias 31/08 e 01º/09, confirmando a chapa encabeçada pelo engenheiro ambiental e vice-prefeito licenciado Axel Grael – candidato apoiado pelo prefeito Rodrigo Neves, que cumpre seu segundo mandato e não pode concorrer ao pleito – e tendo como vice o policial civil e presidente da Câmara de Vereadores, Paulo Bagueira. No mesmo dia 1º, o Novo reafirmou sua prefeitável, a economista Juliana Benício, na chapa com o engenheiro Willie Silva, do mesmo partido.
Já a convenção do PTB em Niterói, realizada inicialmente no dia 04/09, foi anulada verbalmente no dia seguinte pelo líder nacional do partido, Roberto Jefferson, devido ao apoio do presidente do diretório municipal, Renato Cordeiro Júnior, o vereador Renatinho da Oficina, ao prefeitável Axel Grael. Na última quinta-feira (10), a advogada e membro da Executiva Nacional do PTB, Cristiane Brasil, oficiou Jefferson – que também é pai dela – sobre a “desobediência” do diretório niteroiense à proibição de o partido fazer coligação com 11 legendas, entre elas o PDT, em todo o território nacional. Renatinho disse até ontem, sexta (11), não ter sido notificado diretamente e que manterá sua decisão até dia 15, véspera da data-limite para uma nova convenção.
O PSOL Niterói, por sua vez, realizou convenção no dia 08, lançando a candidatura composta pelos educadores Flávio Serafini (deputado estadual), a prefeito, e Josiane Peçanha, a vice. Foi o único partido da cidade até o momento a fazer sessão on-line, como prevenção à pandemia. No mesmo dia Em convenção partidária realizada nesta terça-feira (08/09) de manhã, o diretório em Niterói do Democracia Cristã adiou para a próxima semana a homologação da chapa majoritária, que a princípio seria composta por Tuninho Fares e Nubya Mattos de Azevedo. Somente os candidatos a vereadores foram definidos, em um total de 32 nomes. Segundo a assessoria do partido, ainda não há definição se o DC em Niterói sustentará prefeitável próprio ou se apoiará o candidato de outro partido, cuja negociação já está em andamento, mas ainda depende de decisão de sua Executiva Nacional.
Na sexta-feira (11) foi a vez de PSDB, DEM, PSD, PROS e PL realizarem convenções na Câmara Municipal das 12h às 19h. Após meses de diálogo, o administrador Felipe Peixoto (PSD) e o advogado e vereador Bruno Lessa (DEM) decidiram se unir na mesma chapa e concorrer às eleições deste ano para prefeito e vice, respectivamente. 
Naquele mesmo dia, em um encontro que aglomerou mais de 400 pessoas no salão do Clube Canto do Rio (cuja capacidade é para 350), estando 90% delas sem máscaras de proteção nem respeitando o distanciamento mínimo decretado por lei devido à pandemia, Carlos Jordy (PSL) - acompanhado do também deputado federal pe-esse-elista Eduardo Bolsonaro, filho do presidente - reuniu os pré-candidatos a vereadores do Partido Trabalhista Cristão (PTC) e do Podemos para lhes declarar apoio pessoal, chamando-os de “verdadeiros bolsonaristas”, e chancelando que apoia essas legendas independentemente da orientação do PSL. Em seu discurso, em vez de Deuler, o prefeitável do seu partido, que sequer foi mencionado, Jordy fez elogios ao delegado de Polícia Federal Antonio Rayol, prefeitável pelo Podemos, que não estava presente na ocasião.
Contudo, a convenção agendada pelo presidente do Podemos-Niterói, o advogado Pedro Castilho, pro dia 15 no Praia Clube São Francisco, poderá não acontecer. Isso porque o ex-presidente do diretório municipal Aldemar Furtado, deposto pelo antigo presidente regional e atual senador Romário Faria, ganhou na Justiça a restituição ao cargo. Diante da iminência de assumir a dianteira do partido na cidade em meio à corrida eleitoral, Furtado declarou publicamente na última quinta, dia da decisão judicial, que reagendará a convenção partidária municipal, não lançará candidato próprio e apoiará Axel Grael, tornando-se provavelmente o 15º partido da coligação com o PDT - o partido do governo - e derrubando, assim, a anunciada pré-candidatura a prefeito do delegado Rayol.
 

Galeria de Fotos

Carlos Jordy e Antonio Rayol Reprodução / Youtube
Bruno Lessa e Felipe Peixoto: coligação DEM-PSD após meses de diálogo e afinação fotos: Divulgação
Delegado Deuler da Rocha e Alexandre Ceotto: imbróglio com Bolsonaro indefine chapa Divulgação
Flavio Serafini e Josiane Peçanha Divulgação
Tuninho Fares e Dra. Núbya Divulgação
Juliana Benício e Willie Silva Divulgação
Delegado José Paulo Pires do PMN, que já realizou convenção para oficializar seus vereadores Divulgação