No local previsto para a duplicação fica um galpão abandonado e o 12º Batalhão da Polícia Militar - Foto Internet
No local previsto para a duplicação fica um galpão abandonado e o 12º Batalhão da Polícia MilitarFoto Internet
Por O Dia
Niterói - A Secretaria Municipal de Urbanismo e Mobilidade de Niterói está finalizando o projeto de alargamento da Avenida Jansen de Melo, no Centro. A obra faz parte da lista de projetos previstos no plano de mobilidade sustentável de Niterói, apresentado em novembro do ano passado pelo prefeito Rodrigo Neves. O alargamento prevê a criação de uma terceira faixa nas duas primeiras quadras da Jansen de Melo, entre a Praça Renascença e a Avenida Washington Luiz.

No local previsto para a duplicação fica um galpão abandonado e o 12º Batalhão da Polícia Militar. O galpão está sendo demolido para dar lugar a uma nova faixa de rolamento e a um recuo para o ponto de ônibus. No quartel da PM nenhuma intervenção será necessária, já que há um recuo grande em relação ao alinhamento da rua. Segundo o secretário municipal de Urbanismo e Mobilidade, Renato Barandier, parte desse recuo será usado para o alargamento da Jansen de Melo.

“O projeto de alargamento prevê uma nova baia com ponto de ônibus na primeira quadra da avenida para substituir o ponto que hoje existe na curva da Praça Renascença e provoca retenção no trânsito. O projeto de alargamento ainda está na fase de elaboração com previsão de execução ao longo de 2021”, explica o secretário.

Estudo - A Secretaria de Urbanismo e Mobilidade trabalha ainda em outro projeto para acabar com os engarrafamentos na região. Trata-se de um túnel no cruzamento da Avenida Jansen de Melo com Rua Marechal Deodoro, para facilitar o deslocamento dos veículos num dos principais pontos de retenção no trânsito de quem sai ou chega à cidade pela Ponte Rio-Niterói.

Perto dali, outra intervenção que está sendo estudada é a duplicação da Rua Benjamim Constant, no Barreto, para a via funcionar em mão dupla. A medida vai possibilitar uma ligação direta com a Alameda e com a Jansen de Melo, desafogando o trânsito na entrada da Ilha da Conceição e encurtando o tempo de deslocamento.

Segundo Renato Barandier, as intervenções naquela região do Centro são importantes também porque em breve será inaugurado o Mercado Municipal de Niterói, o que vai atrair público para a região.

“A requalificação do entorno do mercado contará com novas calçadas, paisagismo e iluminação de LED. Vamos facilitar a acessibilidade à região, que está muito próxima aos acessos da Ponte, facilitando também a chegada de quem vem do Rio. Vamos fazer todo um plano de circulação, que vai facilitar para quem vem pela Ponte para acessar de uma forma mais direta aquela região”, disse Renato Barandier.

Mobilidade - O Plano Municipal de Mobilidade Sustentável inclui uma série de intervenções urbanas e viárias, algumas já em andamento e outras previstas para os próximos 10 anos com o objetivo de melhorar a mobilidade em toda a cidade. Entre as intervenções, está prevista a construção de um terminal de ônibus no bairro do Caramujo, que vai reduzir o número de coletivos que trafegam pela Alameda São Boaventura, no Fonseca, além de desafogar o Terminal rodoviário João Goulart, no Centro. Na Região Oceânica, será construída uma grande rotatória, em formato de praça, na entrada de Camboinhas, facilitando o acesso ao bairro e melhorando a mobilidade para quem segue para Piratininga. A rotatório terá uma estação de ônibus nos mesmos moldes das estações da TransOceânica. No Centro, a Avenida Visconde do Rio Branco será requalificada, ganhando pista exclusiva para ônibus e estações de embarque/desembarque no canteiro central.

O Plano também pensou na mobilidade de quem anda a pé. Até 2025, todas as calçadas do Centro serão recuperadas e contarão com acessibilidade. Para quem anda de bicicleta, o plano prevê a construção de 100 quilômetros de ciclovias integrando todas as regiões da cidade nos próximos 5 anos e o bicicletário junto à estação das barcas será duplicado, passando a oferecer 800 vagas.