Não há problema em comer pratos mais calóricos de vez em quando, desde que isso seja uma exceção e não a regra - Imagem Internet
Não há problema em comer pratos mais calóricos de vez em quando, desde que isso seja uma exceção e não a regraImagem Internet
Por Luciana Guimarães
Niterói - Elas estão trancafiadas e a gente sabe, o tédio dá uma fome...como controlar o que crianças e adolescentes estão consumindo em casa durante a quarentena?
Manter uma alimentação saudável nesse período é muito importante para manter o sistema imunológico fortalecido e prevenir a obesidade infantil, já que atividades ao ar livre, passeios ao parque, caminhadas até a escola ou na hora do recreio e aulas de educação física não estão mais acontecendo, o que significa que as crianças estão gastando menos energia.
Publicidade
Letícia de 7 anos deixa a mãe, Beatriz, enlouquecida na hora de comer: "Ela não quer nada além de biscoito recheado, bolo, pizza. Está difícil convencê-la de que precisa de alimentos que tenham vitaminas, minerais.", relata a mãe.
Além disso, é interessante criar uma rotina para o período de isolamento, para que o retorno das atividades, quando ocorrer, não seja tão penoso. Se a criança come salgadinhos e bolachas o tempo todo, a volta à alimentação do colégio, por exemplo, será um problema.
Publicidade
A busca por receita simples, organização e praticidade são os três pilares para cozinhar em casa com mais tranquilidade. Ou seja, não é preciso virar um “masterchef”, basta priorizar o uso de ingredientes diversos. Uma sugestão para variar o cardápio é ter sempre em casa muitas frutas e vegetais.
A empresa "Polpinha De Fruta" que está fazendo o maior sucesso em Niterói e em todo Rio de Janeiro, oferece essa praticidade: são polpas de frutas, detox e energéticas; açaí; picolé, sorbet e sorvetes; sucos que podem ser pedidos on-line e recebidos em casa. 
Publicidade
A costureira Michelle Lima, com os pedidos aumentando e sem poder sair, vê na opção a salvação para o dia a dia: "Eu faço de tudo aqui em casa. Faço picolés para as crianças, sorvete para o marido e suquinhos sempre que elas pedem algo geladinho". Evitar consumo de açúcares e gorduras em excesso favorecem o crescimento saudável tanto fisicamente quanto neurologicamente.
Algumas dicas podem ajudar nesse processo:
Publicidade
Manter a criatividade:
Na hora de montar o cardápio, varie alimentos e formas de apresentação. Faça arroz colorido inserindo cenoura, beterraba ou espinafre no preparo. Além de ficar mais atrativo, fica muito mais nutritivo.

Chamar as crianças para que se envolvam na hora de preparar os alimentos:
Pode ser na hora do almoço ou o lanche ou fazendo a lista de mercado. Esta pode ser uma boa oportunidade para explicar sobre a importância de consumir alimentos saudáveis.

Ser flexível:
Se consumirmos alimentos saudáveis na maior parte do tempo, não tem problema que as crianças comam um hambúrguer, um cachorro quente ou uma sobremesa de vez em quando.

Atenção ao que se ingere:
Alimentos ricos nutricionalmente dão mais sensação de saciedade e evitam que a criança fique pedindo guloseimas no decorrer do dia. Isso pode acontecer com excesso de consumo de carboidratos, que dão sensação de fome de novo mais rapidamente.

Uma despensa saudável:
Isso pode incentivar que você prepare bolos e biscoitos em casa, que são mais saudáveis e frescos do que os comprados prontos. Uma sugestão é preparar bolinhos individuais (como muffins) e congelar uma parte.
Assim, sempre que sentir vontade, terá algo pronto para comer.