PMDB distribui 'cartilha' a deputados para ataque a adversários de Pezão

Estratégia da campanha é mostrar que ele é mais competente do que seus oponentes

Por felipe.martins , felipe.martins

Rio - O comando da campanha à reeleição de Luiz Fernando Pezão, do PMDB, escolheu como alvo dois adversários que, como o governador, ocuparam cargos no Executivo: o deputado Anthony Garotinho (PR), que comandou o estado entre 1999/2002 e em 2003 foi sucedido pela mulher, Rosinha Garotinho, e Lindberg Farias (PT), prefeito duas vezes de Nova Iguaçu.

Revista do PMDB compara os oito anos de governo Cabral/Pezão com o período de GarotinhoReprodução

A estratégia é mostrar que o Rio melhorou depois que a dupla Sérgio Cabral/Pezão assumiu o estado há oito anos. Bancada pelo PMDB e já com quatro mil exemplares distribuídos, a publicação ‘Argumenta Rio’ traz duros ataques às administrações dos adversários de Pezão e municia os aliados com respostas a acusações. O documento é distribuído nos gabinetes de deputados aliados na Assembleia Legislativa.

São destaque na revista do PMDB as críticas à gestão de Anthony Garotinho, na época em que governou o estado, e à administração de Lindberg em Nova Iguaçu. A publicação é dividida em 14 capítulos, como Saúde, Educação, Habitação, Segurança e Esporte e Lazer.

Sob o título ‘Comparar é Preciso’, as acusações feitas pela revista não citam nomes, mas dão dicas dos alvos das críticas. “Parte desses adversários fez parte de administrações anteriores, em que se viu um secretário de saúde ser preso, que atrasava salários dos servidores, que não tinha dinheiro para pagar o 13º e que teve até governador condenado junto a seu ex-chefe de Polícia por formação de quadrilha”, diz um trecho, referindo-se a Garotinho, que foi condenado há três anos pela Justiça Federal. A sentença foi consequência de operação para investigar a máfia dos bingos e das máquinas caça-níqueis e incluiu o ex-chefe da Polícia Civil Álvaro Lins.

Contra Lindberg Farias, são reproduzidas manchetes publicadas na mídia, como a “Em Nova Iguaçu, cestas básicas para eleitores”, ao lado de uma lista de supostas melhorias do governo Sérgio Cabral no setor de Assistência Social.

Matérias de jornais são usadas

De acordo com a assessoria do PMDB, a publicação é para o treinamento de alinhamento de discurso entre candidatos do partido, aliados e a militância, em favor de Luiz Fernando Pezão (PMDB). A distribuição é feita apenas internamente, como trabalho prévio eleitoral.

“Desde maio, distribuímos o material em palestras e convenções, para que saibam como defender os avanços do governo de Sérgio Cabral e Pezão e compará-lo com o de Garotinho”, explicam assessores do PMDB.

Segundo a assessoria, para coletar os “argumentos” da revista, foi feita pesquisa com mais de nove mil reportagens, desde 1999 (o primeiro ano governo de Garotinho). O ‘Argumenta Rio’ tem ainda site e página do Facebook, onde é divulgado parte do trabalho.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia