Polonês preso em São Gonçalo era procurado pela Interpol

Jan Josef Galas Slowakiewicz, de 42 anos, foi preso domingo, no Morro da Alma, por PMs do 7ºBPM

Por paulo.gomes

Rio - Policiais da 74ªDP (Alcântara) descobriram que o polonês preso no domingo pelo 7ºBPM (São Gonçalo) no Morro da Alma, no Coelho, em São Gonçalo, Região Metropolitana, é procurado pela Interpol. O criminoso que se apresentou para a PM como Rikardo Talinowski, de 40 anos, e na delegacia falou que se chamava Stanilaw Galas, 31, na verdade se chama Jan Josef Galas Slowakiewicz, de 42 anos.

Ficha de Jan Josef Galas Slowakiewicz%2C de 42 anos%2C no site da Interpol. O polonês foi preso no domingo%2C em São Gonçalo%2C por PMs do 7ºBPM no Morro da AlmaReprodução Internet

No site da Interpol, o gringo, que é apontado pela polícia como armeiro da facção Amigos dos Amigos (ADA), e acusado de tráfico internacional de drogas, roubo, uso de documento falso, extorsão e injúria. "Ele é um criminoso de alta periculosidade", disse o delegado adjunto da 74ªDP, José Paulo Pires, que coordenou as investigações para descobrir a verdadeira identidade do polonês.

A Polícia Civil analisa se Jan Josef Galas fugiu da Rocinha após a ocupação da forças de pacificação em 2011, já que na comunidade de São Conrado ele era conhecido como 'Russo'. Segundo os PMs, com o polonês, que estava há quatro anos no Rio e 11 meses no Morro da Alma morando com uma mulher, foi apreendido um fuzil, uma carabina, 258 pinos de cocaína e material para embalar drogas.

Galas confessou na 74ªDP que trabalhava consertando as armas dos bandidos, já que é ex-militar na Cracóvia. Além disso, o estrangeiro contou que fazia isso 'para não ficar com mal com os bandidos', já que a ex-mulher dele é quem manda dinheiro para sobreviver.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia