Mais Lidas

Na onda do surfe, nasce um novo ídolo

Título mundial de Medina cria legião de fãs da noite para o dia

Por bianca.lobianco

Rio - Gabriel Medina pegou uma onda maneira, deu cutback, hang five, hang ten, e se consagrou o melhor surfista do planeta. Mal o paulista se sagrou o primeiro brasileiro campeão do mundo no surfe, na última sexta-feira na praia de Pipeline, no Havaí, e já virou ídolo e inspiração — até para quem nunca deu muita bola para o esporte. Um fenômeno semelhante ao que aconteceu com o tênis, com as conquistas de Gustavo Kuerten, e com a Fórmula-1.

Agora, pelo menos nestes dias, é o surfe que está no topo da onda. “Não só a galera nova, mas os coroas também estão passando a acompanhar o surfe por causa da vitória do Medina. Um amigo de 64 anos já me ligou pedindo para agendar aulas. A conquista vai, sem dúvida, atrair mais e mais pessoas interessadas em aprender o surfe”, comemora o professor de surfe Jean Carlos, que dá aulas no Arpoador.

Título mundial de Medina cria legião de fãs da noite para o diaAlexandre Vieira / Agência O Dia

Ele conheceu Gabriel Medina pessoalmente, no começo do ano, quando o campeão apareceu no Arpoador em um campeonato. “É um cara que veio do nada, foi treinando, treinando e e acabou superando todo mundo”. Mesmo em uma manhã sem ondas como a de ontem, de mar ‘flat’ (sem ondas), e sem sol, dezenas de surfistas estavam ali na água do Arpoador, badalado point carioca do surfe, à espera de uma marolinha, só para se sentir como o novo ídolo.

Afinal, se no dito ‘esporte nacional’, o futebol, 2014 foi um ano para se esquecer (por causa da derrota para a Alemanha na Copa), quase no apagar das luzes do ano o Brasil sagra-se campeão do mundo em outro esporte onde nunca teve uma grande tradição. Agora, parece que todos só querem arrumar as malas e se mandar para o Havaí. “Ele é um exemplo para que surja uma nova geração de surfistas. Que nem aconteceu quando o Guga se destacou no tênis e muita gente começou a fazer aulas”, compara o jovem Murilo Marinho, 17 anos, aluno de Jean Carlos, junto do amigo João Vitor, 16, ambos já se sentindo futuros astros com a prancha do lado.

As conversas nas rodinhas nas areias do Arpex (como é chamado carinhosamente o Arpoador, pelos surfistas) só giram em torno do novo campeão mundial. “Sou fã do Medina faz um tempinho”, garante a pequena Bruna Faria, 12 anos, com sua prancha que mede o dobro de seu tamanho mas doida para ir na onda que mais longe a levar. “É importante essa vitória dele para chamar a atenção para o surfe, e o esporte em geral, que raramente ganham incentivos”.

A nova febre contagiou também as redes sociais, como o Facebook, com uma intensa publicação de fotos e comentários celebrando o mais novo ídolo do Brasil.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia