Subtenente Bernardo: O fim da máfia dos reboques

Vivemos uma nova era, o povo brasileiro almeja novos rumos e um combate ofensivo contra a corrupção

Por O Dia

Sub Tenente Bernardo
Sub Tenente Bernardo -

Rio - Quando iniciei o combate contra um esquema de corrupção vergonhoso, ao qual denominei de "Máfia dos Reboques e Depósitos Particulares", muitos não acreditaram que iríamos desferir um golpe crucial para por fim a um sistema que confiscava o patrimônio alheio e sangrava os parcos recursos financeiros dos mais pobres.

Investigamos durante cinco meses o "modus operandi" do esquema que é formado por empresas especializadas em serviços de reboque e armazenamento de veículos, maus policiais, despachantes e agentes políticos, para entender quais seriam as ações necessárias que poderíamos adotar, através da atuação parlamentar na Alerj, para atacar o ponto nevrálgico do esquema, ou seja, os atores envolvidos, a lavagem de dinheiro, o seu destino e o mecanismo que possibilita a continuidade delituosa.

A partir desse levantamento, fizemos requerimentos solicitando aos órgãos competentes a abertura de inquéritos para investigar o esquema criminoso que opera em todo o Estado do Rio de Janeiro. Ainda no campo parlamentar, apresentamos duas proposições importantes que levamos ao governador Wilson Witzel, a primeira foi uma indicação para retirar a Polícia Militar das atribuições de trânsito, pois sempre defendi ao longo dos meus 35 anos como policial militar que a função da polícia é combater criminosos e garantir a ordem pública; a outra proposição era permitir que ao ser parado em uma blitz, o condutor do veículo irregular tivesse um prazo para regularizar o veículo e, assim, não ter o mesmo rebocado de imediato. As duas medidas foram acolhidas de pronto pelo governador, que a partir do dia 08/04 determinou que as blitzes sejam realizadas pelo Detran e que a fiscalização terá um caráter educativo, possibilitando, desta maneira, que os veículos não sejam rebocados de imediato.

Tais medidas irão possibilitar uma justiça social ímpar, pois os mais prejudicados por este esquema eram os menos favorecidos. No entanto, pretendíamos avançar mais, e no último dia 04 de abril, a Assembleia Legislativa aprovou um projeto de lei de minha autoria, que ratifica as medidas já adotadas pelo Poder Executivo, permitindo assim que a população fluminense se livre dessa máfia pelo resto da vida.

Vivemos uma nova era, o povo brasileiro almeja novos rumos e um combate ofensivo contra a corrupção, todos ganhamos com esse cenário e o país caminhará para o tão sonhado crescimento.

Subtenente Bernardo é deputado estadual, líder do PROS

Comentários