Rosane Felix: Estímulo ao trabalho social e filantrópico

O trabalho realizado pelas igrejas é um dos maiores e mais eficazes instrumentos de ressocialização

Por Rosane Felix*

Rosane Felix
Rosane Felix -

Rio - O trabalho realizado pelas igrejas é um dos maiores e mais eficazes instrumentos de ressocialização. Através da pregação do evangelho, dependentes químicos são recuperados, alcoólatras libertos do vício, marginais abandonam a criminalidade, famílias são restauradas e vidas transformadas. Por esses motivos, e tantos outros, votei a favor e fui coautora de uma emenda que garantiu o retorno da isenção do ICMS nas contas de energia elétrica das igrejas, templos religiosos e entidades filantrópicas. Desde janeiro, as igrejas e instituições foram surpreendidas com a cobrança indevida de 32% do ICMS, que gerou um aumento abusivo nas contas de luz. Este aumento aconteceu por causa da não prorrogação de um decreto pelo governador anterior e prejudicou diretamente o trabalho das igrejas e das entidades filantrópicas.

Através da fé, muitas pessoas conseguem superar a depressão, pensamentos suicidas e diversos problemas emocionais, recuperando a autoestima e amor próprio. As igrejas realizam um brilhante trabalho social nas comunidades com distribuição de alimentos e roupas, cursos profissionalizantes, aulas gratuitas de reforço escolar, palestras e outras ações em benefício dos menos favorecidos. As entidades filantrópicas também contribuem muito com a nossa sociedade. Instituições como ABBR, APAE, Pestalozzi, Santa Casa de Misericórdia e outras desenvolvem um importante trabalho.

Em plenário e através das redes sociais, solicitamos ao atual governador que tomasse as providências necessárias para corrigir a injustiça. Lutamos e conseguimos o fim da taxação. Na próxima fatura, a isenção de ICMS retorna, e a conta de luz ficará mais barata. Uma ótima notícia para as igrejas e as entidades filantrópicas.

Se os índices de violência em nosso estado são alarmantes, imagine como seria sem o trabalho das instituições. A atuação das igrejas beneficia toda a nossa sociedade, contribuindo com a diminuição da criminalidade e a melhoria na qualidade de vida da população. É importante destacar que as igrejas não recebem dinheiro público, ou seja, realizam um trabalho de excelência a custo zero para o governo.

Sou defensora do Estado Laico. A história nos mostra que a separação entre Igreja e Estado é a melhor opção para um governo. Mas, isso não impede que sejam feitas parcerias em benefício da população. No combate às drogas, à violência, à fome e a outras mazelas sociais, devemos dar as mãos e nos unir para que dias melhores venham sobre o nosso Estado do Rio de Janeiro.

Rosane Felix é radialista e deputada estadual pelo PSD-RJ

 

Comentários