Marcelo Alves Ferreira: Duas marchas pela educação

Embora exista uma discussão, como pano fundo, se o DNA da manifestação era social ou político, registra-se que tal movimento e sua força não deve ser ignorado

Por O Dia

Marcelo Alves Ferreira
Marcelo Alves Ferreira -
Rio - No dia 30 de maio, tivemos dois eventos muito significativos no eixo Rio e São Paulo. Uma manifestação contra o contingenciamento do investimento em educação nas ruas e cerca de 10 mil profissionais, empresários e investidores assistindo a um dos mais carismáticos políticos dos últimos tempos. As redes sociais se dividiram. Facebook e LinkedIn, cada um no seu propósito, foram inundadas de posts com selfs e frases de alto impacto. Representativo foi que, em ambos os eventos, a tônica da mensagem foi a mesma, Educação.

Em São Paulo, Barak Obama, um orador de mão cheia, citou, em vários momentos, a relevância da educação em um processo vertiginoso que culmina em uma nação forte e sustentável. Já no Rio, o mote se baseava, mesmo que poluída de outras bandeiras, na redução e investimentos nesta área. Para um povo tão desacreditado, onde se prolifera políticos desinteressantes e desinteressados, Barak cativou e demostrou, através de um pensamento coerente, como pautas verticais não podem ser abandonadas por um estadista. Frases como “educar não é caridade, não é favor” toca em inatos valores de uma sociedade mais justa e progressista. Em um país com mais de 12 milhões de analfabetos, educar e transformar a vida das pessoas é uma questão de honra, princípio e dívida com a sociedade.

No outro vértice deste mesmo dia, a manifestação em prol da educação nas ruas cariocas, que também mobilizou outras cidades do país neste tema, demostra o quanto este assunto mobiliza a sociedade. Segundo os organizadores mais de 150 mil pessoas participaram. Embora exista uma discussão, como pano fundo, se o DNA da manifestação era social ou político, registra-se que tal movimento e sua força não deve ser ignorado.

Por ser uma prática social e não se restringir unicamente ao ambiente formal de ensino é primordial garantir que o indivíduo exerça sua cidadania. Um país que investe em educação investe também em muitos segmentos da sociedade. A educação abre portas, estabelece senso crítico e dissemina a dignidade. Independentemente qual deles você participou neste dia, certamente saímos dele muito melhores do que entramos. Bons mentores expandem nossa visão e causas nobres nos impulsionam ao futuro.

Marcelo Ferreira é gerente de Inovação de Ensino Digital da Estácio Participações

Comentários