Antonio Florencio de Queiroz: Educação é investimento, não caridade

Numa frase marcante, Barack Obama ressaltou que "dar educação e serviços sociais não é caridade" e, se um país não investe nas pessoas, provavelmente não será bem-sucedido.

Por O Dia

Antonio Florencio de Queiroz Junior
Antonio Florencio de Queiroz Junior -
Rio - No momento em que o país debate como nunca a Educação, um tema indispensável e sempre contemporâneo, um homem que ocupou um dos cargos mais importantes do planeta veio nos lembrar algumas lições sobre a importância do ensino que, para nós, do Sesc, já fazem parte de nossas tradições e missões.

Há duas semanas, o ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama, que visitava o Brasil, aproveitou um evento para defender com veemência a importância do investimento na área de educação para o desenvolvimento dos países. Investimento que pode significar a diferença entre a pobreza e o progresso. Numa frase marcante, ressaltou que "dar educação e serviços sociais não é caridade" e, se um país não investe nas pessoas, provavelmente não será bem-sucedido.

De fato. Educação não é caridade, é o maior investimento que se pode fazer no futuro de um país. Foi belíssimo ouvir Obama dizer ao mundo aquilo em que acreditamos - e aquilo que praticamos aqui no Sesc. Que é necessário criar um sistema educacional que prepare crianças e jovens para o pensamento crítico. Que educar é, antes de tudo, ensinar a pensar e agir. A andar com as próprias pernas.

Suas sábias palavras não poderiam ser mais coincidentes com nosso pensamento, onde, no processo de transformação social e cidadania, a educação está em todas as ações. Seja em atividades ou projetos, o objetivo do Sesc tem sido o de instruir, educar e orientar de maneira completa nas mais diferentes áreas de conhecimento.

No Sesc, acreditamos, somos o meio. E o poder transformador está justamente com os alunos. Por isso, contribuir para o desenvolvimento integral dos indivíduos é proporcionar a compreensão completa do meio em que vivem. Algo essencialmente importante numa sociedade como a nossa, ainda tão desigual, e com tanto ainda o que fazer, corrigir, equilibrar.

Um bom exemplo desse espírito transformador é o Projeto Sesc + Infância, apresentado em abril, sob aplausos, em Lausanne, Suíça, durante o 5º Colóquio Internacional sobre Desigualdades Escolares. Síntese de nosso desafio permanente como instituição de bem-estar social, o programa de educação integral oferece atividades no contraturno escolar para crianças entre 6 e 12 anos em 9 unidades no estado. Um programa gratuito e dirigido a quem mais precisa: as crianças e famílias mais desassistidas.

Outro elogio reservado por Obama foi ao mestre e sua enorme capacidade de dar confiança a uma criança. Outro posicionamento alinhado com nossas práticas. Por isso mesmo, além da educação de qualidade a crianças e jovens, investimos fortemente na capacitação de professores. Por meio de cursos, oficinas e seminários, os profissionais da pedagogia realizam intercâmbio de experiências e conhecimentos, buscando ampliar a qualificação e ferramentas de nosso corpo docente.

Obama e Sesc, como se vê, compartilham ideias e ideais sobre Educação. E sobre como este investimento pode criar um mundo melhor.
Antonio Florencio de Queiroz Junior é presidente do Conselho Regional do Sesc RJ

Comentários