Simone Veloso: O poder do colágeno

O colágeno é uma proteína produzida por nosso organismo, que desempenha função estrutural responsável pela coesão, firmeza e elasticidade da pele, tendões, cartilagens, artérias, órgãos e ossos

Por O Dia

Simone Veloso
Simone Veloso -

O colágeno é uma proteína produzida por nosso organismo, que desempenha função estrutural responsável pela coesão, firmeza e elasticidade da pele, tendões, cartilagens, artérias, órgãos e ossos. Enquanto as fibras colágenas conferem a estrutura ao tecido cutâneo, as de elastina, a flexibilidade.

Com o passar dos anos o organismo como um todo sofre modificações. De todos os órgãos, a pele é o que mais evidencia tais alterações. Dentre elas, talvez a que mais incomode seja a perda da firmeza da pele, isto é a flacidez cutânea.

Clinicamente o envelhecimento da pele é caracterizado por uma atrofia generalizada das estruturas cutâneas, este processo ocorre naturalmente com o passar dos anos. É esperado, previsível, inevitável e progressivo.

A partir dos 30 anos a produção começa a diminuir 1% ao ano, com consequências diretas em nosso corpo. Esse decréscimo é potencializado pelo estilo de vida: excesso de sol, certos hábitos alimentares, poluição e tabagismo são alguns dos fatores que ajudam a diminuir a produção desta proteína.

Além de não produzirmos na mesma velocidade, o colágeno existente em nossa pele sofre transformações em sua estrutura, como se essas fibras se tornassem velhas e sem a função de sustentar os tecidos.

As formas de prevenção envolvem o uso do protetor solar, o combate ao fumo e uma dieta rica em nutrientes e com baixo consumo de açúcares. Felizmente, os jovens estão cada vez mais atentos a essa situação e buscando ajuda do dermatologista para prevenir tal problema desde cedo.

Os cuidados preventivos começam na infância com o uso de filtro solar e com bons hábitos alimentares. Após os 30 anos alguns tratamentos já podem ser iniciados, como ingestão de suplementos com antioxidantes e colágeno; o uso tópico de vitamina C, ácido retinóico, alfa e betahidroxiácidos; assim como a hidratação injetável (Skinbooster) e o microagulhamento robótico. Próximo aos 40 anos, uma excelente opção é o uso de bioestimuladores (ácido poli-L-lático e hidroxiapatita de cálcio); aplicação de lasers e ultrassom microfocado.

O médico dermatologista deve examinar cada paciente, para poder determinar quando começar e optar pelo melhor tratamento de forma individual. Não há receita de bolo.

*Simone Veloso é professora de Dermatologia da Unirio

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários