Simone Viana: Alfabetizar é Educar para a Cidadania

O Dia Nacional da Alfabetização deve ser visto também como uma oportunidade de ressaltar a importância do combate ao analfabetismo no Brasil

Por Simone Viana*

Simone Viana
Simone Viana -
O Dia Nacional da Alfabetização foi comemorado dia 14 de Novembro, a partir do Decreto de Lei nº 19.402, uma ação para conscientizar a população sobre a importância da implantação de melhores condições de ensino e aprendizagem no país, refletir e implementar propostas que permitirá no processo ensino aprendizagem no núcleo alfabetizador, a construção de valores, respeito e conhecimento de direitos e deveres nas relações sociais, na consolidação de todo o processo de ensinar e de aprender para a vida e na vida.

Este dia deve ser visto também como uma oportunidade de ressaltar a importância do combate ao analfabetismo no Brasil; nos permitindo pensar e refletir o artigo 205 da Constituição Federal de 1988 que diz que "a educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho." Visando favorecer a formação do cidadão para que este assuma formas de participação social, política e de atitudes críticas diante da realidade que o cerca por meio da leitura do espaço, o qual traz em si todas as marcas da vida dos homens, construído cotidianamente, mobilizando para os caminhos de acesso ao conhecimento, associada a cultura, leitura crítica da realidade, desafiando-nos para que percebamos que o mundo pode ser mudado, transformado, reinventado.
Faz-se necessário compreender que o processo de Alfabetização é uma possibilidade de transformação social, é oportunizar desde a educação básica, o indivíduo ser sujeito da própria história; oportunizando a quebra de paradigmas desde cedo, reconstruindo valores e verdades, se conscientizando de seus direitos e deveres na sociedade, constituindo-se em um processo educativo fundamentalmente democrático, pela capacidade de percepção crítica e autoconhecimento contribuindo na construção de uma sociedade menos excludente, assumindo um papel sobretudo político, posicionando ativamente nas transformações da sociedade e na construção de um saber pedagógico pautado na qualidade, na afetividade, na construção histórica e cultural vivenciada, que vai além do saber falar, ler e escrever.
O debate não cessará, é preciso compartilhar ideias e propostas, para que as práticas pedagógicas alfabetizadoras atendam às necessidades atuais do mundo moderno e sua complexidade, contribuindo na consolidação de uma sociedade justa, democrática e humana sem perder a individualidade daqueles que a constrói no processo de construção das identidades destes sujeitos e de seus grupos a qual pertence, o que é determinante na construção da leitura de mundo deste aluno.
 
* Simone Viana é professora do Colégio Dr. Barros Barreto
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários