Iwyna França: Cuidados com a pele de recém-nascidos

A higiene adequada do bebê deve promover o conforto e bem-estar de mãe e filho

Por Iwyna França*

Iwyna França
Iwyna França -
Avaliar a pele de um recém-nascido (RN) exige destreza. Muitas lesões de pele podem ser encontradas no exame físico logo após o nascimento. A maioria delas é benigna e/ou transitória, mas precisam ser avaliadas pelo dermatopediatra.

Durante o último trimestre da gestação, o feto é recoberto pelo esbranquiçado e graxento vernix caseoso, ele existe para que a maturação da pele ocorra. Exceto se houver risco de transmissão de doenças maternas, o vernix não deve ser removido nas primeiras seis horas após o parto pelas suas propriedades protetoras, de hidratação, termorregulação e cicatrização de feridas. Apenas as sujidades sanguíneas devem ser removidas.

A higiene adequada do bebê deve promover o conforto e bem-estar de mãe e filho. O banho pode ser diário ou espaçado de 3 a 4 dias (desde que se realize a higiene das pregas, cordão e área de fraldas), deve ser de imersão (corpo imerso em água, excluindo cabeça e pescoço), com água morna (35 a 37 graus Celsius). Toda limpeza deve ser suave, sem esfregar a pele. Deve ser utilizado sabonete infantil suave, enxague logo após o ensaboar e a duração total deve ficar entre 5 a 10 minutos.

O uso de sabonetes adequados que não alterem o pH normal da pele deve fazer parte das orientações de higiene infantil. Os sabonetes com componentes bactericidas não devem ser utilizados diariamente. A dermatite de fraldas pode ser prevenida. Ela é causada por irritação e maceração dados pelo contato prolongado de fezes e urina. Esses fatores associados levam à alteração da função de barreira da pele, facilitando a penetração de irritantes e a proliferação de microrganismos que irão determinar a dermatite.

Troque as fraldas de 5 a 6 vezes por dia. Deixa que o bebê exponha a pele do períneo ao ar livre pelo maior tempo possível. A aplicação do creme de barreira deve ser rotineira e preventiva, não deve ser usado apenas quando há lesão. Ele forma uma película protetora que impedirá a ação das enzimas digestivas provenientes das fezes sobre a pele, e também limitará a fricção. Não é necessário remover completamente o creme de barreira a cada troca. Os cremes e/ou pomadas contendo medicamentos não devem ser usados de rotina. A limpeza com água e algodão é a forma mais utilizada na higiene da área das fraldas, mas também pode ser feita com lenços umedecidos, ou ainda com Syndets.

A higiene do cordão umbilical é feita com água e sabão e álcool etílico a 70% 1 vez ao dia. Ele deve ser mantido sempre seco, coberto com uma gaze limpa. A fralda deve ser trocada rapidamente após evacuação ou micção. Os hidratantes caem muito bem quando há exposição da pele a mudanças climáticas e agentes externos, quando há excesso de banhos e/ou quando um irmão ou parente próximo do bebê tem dermatite atópica. Deve ser aplicado após o banho (até 3 minutos), ser branco e sem cheiro. Uma boa massagem tem se mostrado benéfica para o desenvolvimento e bem-estar infantil.

*Iwyna França é dermatopediatra

Comentários