Paula Freitas: Como driblar a ansiedade

Todos nós temos problemas, mas a repercussão e comoção que esse problema causa em nossa mente é o que faz o problema parecer muito maior do que realmente ele é

Por Paula Freitas*

Paula Freitas
Paula Freitas -
Segundo os últimos estudos da OMS (Organização Mundial de Saúde) nosso país possui o maior número de pessoas ansiosas do mundo. Percebendo esses dados assustadores, apresentamos para você algumas estratégias para diminuir os efeitos da ansiedade.

A primeira coisa para quebrar esse ciclo da ansiedade é criar um processo de limpeza da sua mente. 
Quando falamos isso, percebemos em algumas práticas como a meditação, hipnose ou qualquer processo que faça você entrar em um estado de consciência alterada irão contribuir para que você limpe a sua mente de todas as preocupações. Todos nós temos problemas, mas a repercussão e comoção que esse problema causa em nossa mente é o que faz o problema parecer muito maior do que realmente ele é.

Fazendo isso, você poderá limpar esse espaço das “bagunças mentais”, para que na sequência você possa de uma forma mais racional, reorganizando as suas questões de forma mais sábia, conseguindo ter maior controle sobre as tarefas e evitar que justamente as tarefas acabem tomando o controle de você.

A segunda coisa é identificar quais são os gatilhos que estão por trás de uma crise ou pico de ansiedade.

Nessa etapa devemos fazer uma análise para identificar quais são os eventos ou representações internas que acabam acionando essas reações involuntárias como a inquietação, falta de ar, arritmia, insônia, frio na barriga entre outros sintomas, para que então possamos identificar com maior precisão onde exatamente estão esses pontos de vulnerabilidades, para que possamos através dos esforços e recursos certos transformá-los em pontos de melhoria tangíveis.

Começando ao utilizar essa nova percepção, o terceiro passo consiste em construir um novo cenário interno.

Nesta projeção, você deve se questionar sobre como a sua vida ou profissão seriam diferentes se você pudesse superar esses obstáculos e pudesse se fortalecer com eles. Isso vai permitir que os receios ou aversões com o problema comecem a ser vistos de uma forma mais diferente e até interessante.

Isso vai criar um processo que fará a sua mente não-consciente procurar novos aprendizados não mais de forma destrutiva, mas sim construtiva, alimentando a sua persistência e lhe dando novas inspirações, passando a enxergar um novo patamar a cada obstáculo ultrapassado.

E finalmente, criamos um processo de comprometimento para que tudo aquilo que foi projetado possa ser implementado de forma prática.

Nesse momento precisamos nos atentar a execução as instruções encontradas, para que ao realizá-las, inconscientemente possamos alimentar a nossa mente maior com evidências que sustentem esse processo, até que esse se torne um hábito, criando segurança e confiança genuínas, construindo uma nova atitude perante aos desafios, fazendo de você um profissional fora da média e cada vez mais livre dos efeitos da ansiedade.
*Paula Freitas é especialista em PNL

Comentários