Marcelo Queiroz: Uma quarentena mais colorida!

A floricultura é um ramo do agronegócio que veio crescendo nos últimos anos no Brasil e no mundo e abrange o cultivo de flores e plantas ornamentais para os mais variados fins e formas de apresentação

Por Marcelo Queiroz*

Marcelo Queiroz
Marcelo Queiroz -
O mês de maio, também conhecido como mês das mães e das noivas, se caracteriza, entre outras coisas, pelo aumento expressivo do consumo de flores, o que é motivo de comemoração para um setor extremamente importante e pouco conhecido do cidadão fluminense: a produção de flores.

A Floricultura é um ramo do agronegócio que veio crescendo nos últimos anos no Brasil e no mundo e abrange o cultivo de flores e plantas ornamentais para os mais variados fins e formas de apresentação, incluindo desde àquelas que compõem os buquês até arranjos para festas e eventos.

O Estado do Rio de Janeiro, a cada ano, vem consolidando sua liderança nesse segmento e ocupa a segunda posição entre os estados da federação, com uma produção anual de 560 milhões de flores. Atualmente, são mais de 900 produtores que cultivam cerca de 2.500 espécies e 13.000 variedades de plantas, gerando emprego e renda para mais de 18.000 pessoas, que corrobora a importância social e econômica da floricultura, refletida em sua base de produção, composta majoritariamente por pequenos produtores com predomínio da agricultura familiar.

Tal produção ganhou visibilidade e apresentou crescimento a partir do fortalecimento da economia e da renda per capita ocorrida nas últimas décadas, que levou ao aumento expressivo da demanda. Trata-se, portanto, de cadeia que deve ser valorizada em todos os aspectos, em especial no momento que vivemos.

O incentivo à produção é uma marca do Governador Wilson Witzel que, através da Secretaria Estadual de Agricultura, oferece uma linha de crédito com juros baixos, com recursos do AgroFundo, para apoiar os produtores nesse momento atípico, além de fomentar a qualificação dos produtores e prestar assistência técnica constante aos mesmos.

É certo que os efeitos da situação atual são imprevisíveis mas, justamente por este cenário é que devemos reinventar as formas de levar ao consumidor final esses produtos, criando novos canais e fomentando uma cadeia produtiva ascendente, bonita, perfumada que tem o poder de despertar emoções e melhorar a qualidade de vida. Torne sua quarentena mais colorida! Compre flores!
*Marcelo Queiroz é secretário estadual de Agricultura e advogado

Comentários