Marcelo Queiroz: Agroindústria Fluminense pede passagem

A expectativa é que no primeiro ano de adesão ao SISBI, nas agroindústrias que aderirem ao sistema e sejam certificadas, ocorra um acréscimo de 30% na produção das mesmas, além de cerca de 20% de aumento no número de empregos diretos

Por Marcelo Queiroz*

Marcelo Queiroz
Marcelo Queiroz -
O Estado do Rio de Janeiro, através da Secretaria de Agricultura, mesmo durante a pandemia do coronavírus, trabalhou intensamente e, após processo de auditoria técnica realizada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, aderiu ao Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal, o SISBI-POA.

A certificação veio em boa hora para a economia fluminense, pois passa a permitir a comercialização de produtos de origem animal, que envolvem os segmentos de carne, leite, mel, ovos e pescado produzidos internamente em todo o território nacional, estimulando, assim, o fortalecimento da agroindústria, hoje reduzida aos limites territoriais do Estado.

O sistema padroniza e harmoniza os procedimentos de inspeção no âmbito estadual e federal, em especial no que tange a segurança alimentar, dando garantias aos consumidores, aumentando a competitividade da produção e o desenvolvimento do setor.

Além dos benefícios acima mencionados, o aumento da competitividade trará uma reação positiva em toda a cadeia de produção do agronegócio, beneficiando direta e indiretamente as economias regionais, que serão as provedoras das matérias-primas e da mão de obra.

A Secretaria Estadual de Agricultura pretende, em parceria com a EMATER-RIO e a PESAGRO-RIO, de forma pró ativa, atuar por segmento, no sentido de atender a demanda com maior celeridade e eficiência, considerando a expectativa do setor, que hoje conta com quase quinhentas agroindústrias registradas no Serviço de Inspeção Estadual.

A expectativa é que no primeiro ano de adesão ao SISBI, nas agroindústrias que aderirem ao sistema e sejam certificadas, ocorra um acréscimo de 30% na produção das mesmas, além de cerca de 20% de aumento no número de empregos diretos.

Ações para avançar, crescer e ganhar mercado, passam necessariamente pela capacidade de manter o trabalho de inspeção em constante evolução trazendo, sem dúvidas, diversos benefícios para agroindústria e consequentemente para a economia que precisará ser estimulada após a pandemia.

*Marcelo Queiroz é secretário Estadual de Agricultura e advogado

Comentários