Baile leva 25 mil à Penha, dura 16h e moradores reclamam

No Facebook, moradores compartilharam fotos das ruas tomadas por jovens e do lixo na porta das casas no fim da festa

Por O Dia

Fotos na internet mostram ruas tomadas pelo público na Penha
Fotos na internet mostram ruas tomadas pelo público na Penha -

Rio - O baile de funk "Baile da Gaiola", no Complexo da Penha, reuniu cerca de 25 mil pessoas nesse fim de semana e gerou polêmica nas redes sociais. Em comemoração ao aniversário do DJ residente do evento Rennan da Penha, o baile começou na noite de sábado e só terminou às 16h de domingo, com o público espalhado por seis ruas residenciais e duas avenidas da comunidade Vila Cruzeiro, e música nas alturas.

No Facebook, moradores compartilharam fotos das ruas tomadas por jovens e do lixo na porta das casas no fim da festa. Segundo o BRT Rio, dois articulados também foram vandalizados por um grupo que ia para o baile e o serviço de três linhas foi interrompido.

"Imagina o povo querendo dormir... Absurdo! Passo de BRT para trabalhar e realmente parece o apocalipse zumbi! Jovens totalmente drogados, bêbados, é desesperador", diz uma das críticas ao evento.

"São muitas casas e o barulho é muito alto. Para os moradores que não curtem deve ser um inferno", comentou jovem que já frequentou a festa.

O baile acontece todos os sábados, mas por conta do aniversário do DJ, o evento recebeu um público maior. "Uma marca história, apesar de imprevistos", comemorou Rennan da Penha nas redes. O DJ, um dos mais famosos do Rio e queridinho de jogadores de futebol, tem músicas com letras controversas de apologia às drogas e, em 2016, foi preso por associação ao tráfico.

A PM informou que atua com policiamento diferenciado na região nos dias do evento, com reforço aos acessos da comunidade e no BRT. Tanto a PM como a Prefeitura afirmaram que a festa acontece sem autorização, de forma irregular, mas que a Comlurb já realizou a limpeza do local.

Comentários

Últimas de Rio de Janeiro