Crivella assina contratos de R$ 34 milhões para reformas em 72 escolas

Investimento total, de R$ 200 milhões, prevê também climatização, troca de mobiliário e instalação de wi-fi

Por O Dia

Marcelo Crivella, o subsecretário de Infraestrutura, Sebastião Bruno, a secretária de Urbanismo, Infraestrutura e Habitação, Verena Andreatta, a secretária de Educação, Talma Suane, e o presidente da Rio-Urbe, Fabio Lessa, no lançamento do programa de recuperação e reforma das escolas da rede municipal
Marcelo Crivella, o subsecretário de Infraestrutura, Sebastião Bruno, a secretária de Urbanismo, Infraestrutura e Habitação, Verena Andreatta, a secretária de Educação, Talma Suane, e o presidente da Rio-Urbe, Fabio Lessa, no lançamento do programa de recuperação e reforma das escolas da rede municipal -

Rio - O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, apresentou nesta quarta-feira, o programa de recuperação e reforma das escolas da rede municipal. Com a secretária municipal de Educação, Talma Suane, ele assinou 60 contratos que contemplarão 72 escolas, com investimento de R$ 34 milhões nessa primeira fase de execução do projeto.

De acordo com Crivella, a melhoria das unidades escolares prevê obras em telhados, paredes, fachadas e partes internas dos imóveis, além de instalação e conserto de aparelhos de ar condicionado, troca de mobiliário (mesas, cadeiras e quadros) e acesso à rede Wi-Fi. O investimento total é de R$ 200 milhões e beneficiará até 220 escolas.

Ainda segundo o prefeito, além dos R$ 34 milhões dos contratos assinados nesta quarta, outros R$ 47 milhões foram empenhados para melhorias em mais 56 unidades, resultando em 128 escolas beneficiadas com obras. A troca de mobiliário será feita em todas as unidades da rede. Já a climatização e instalação de banda larga de internet Wi-Fi, em 220 escolas.

"Eu preciso muito que os professores e as empresas entendam o esforço sobre-humano que estamos fazendo para poder cuidar da rede. Governar não é deixar marcas, é pensar nos outros, e é isso que estamos fazendo", disse Crivella, que exaltou a motivação dos coordenadores e professores das CREs, as Coordenadorias Regionais de Educação.

"Sei que se vocês estão na rede municipal é porque pensam nos outros. Sei que o que os motiva não são suas aspirações pessoais, mas, sim, o futuro das nossas crianças. Isso, com certeza, vai contagiar os empreiteiros, que vão fazer nas nossas escolas obras da melhor qualidade", destacou o prefeito. 

As obras nas primeiras 72 escolas começam imediatamente, para aproveitar o recesso dos alunos e, assim, causar o menor transtorno possível com o movimento de operários e equipamentos. O prefeito, no entanto, pediu paciência aos professores e diretores e alertou que reformas sempre causam certo incômodo, como barulho e poeira. Ele lembrou que, ao final do processo, as unidades escolares funcionarão melhor, e o sacrifício terá valido a pena.

 

Últimas de Rio de Janeiro