Delegacia tem cursos para idosos

Unidade especializada na terceira idade promove aulas de segurança, crochê e técnicas de memorização

Por NADEDJA CALADO

A professora de crochê Maria do Rosário Assunção (em pé) com as alunas Elisete Santos Nóbrega (à direita) e Sandra Lúcia dos Santos Souza (centro)
A professora de crochê Maria do Rosário Assunção (em pé) com as alunas Elisete Santos Nóbrega (à direita) e Sandra Lúcia dos Santos Souza (centro) -

Rio - Todos os meses, centenas de idosos vítimas de crimes financeiros, abusos e maus-tratos fazem denúncias na Delegacia Especial de Atendimento à Pessoa da Terceira Idade (Deapti), em Copacabana. Com tantas ocorrências, a unidade passou a promover encontros para orientar tal público a se proteger dos crimes mais comuns, além de realizar cursos gratuitos de atividades variadas.

De acordo com o delegado-titular da Deapti, Marcos Cipriano, o atendimento da especializada é diferente das outras delegacias. "Aqui estamos preparados para atender essa população. Temos tempo para orientar quem necessita de ajuda, quem precisa conversar ou ser informado para se proteger", avisa, acrescentando que a melhor forma de prevenção aos crimes contra a terceira idade é o apoio da família. "O ideal é nunca deixar o idoso sozinho. Mas, muitos deles, acabam deixados de lado pelos parentes, tornado-os mais vulneráveis a golpes", ensina o delegado.

Na delegacia, os idosos são orientados sobre os crimes mais comuns. Segundo o delegado Marcos Cipriano, são corriqueiros os golpes financeiros, que costumam envolver fundos de previdência, contribuições em dinheiro para instituições de caridade falsas, créditos consignados (com descontos na folha da aposentadoria), entre outros esquemas. "Muitas vezes, os golpes são feitos por telefone, o que é extremamente perigoso. Mesmo na rua, um bandido aparece para conversar e, em pouco tempo de diálogo, já sabe muito sobre a vida do idoso, se mora sozinho, sua condição de vida, o que facilita os golpes", explica.

Outras aulas

Além das orientações sobre os crimes mais comuns, a delegacia também promove outras atividades. Atualmente, um curso para estimular a memória para os idosos é ministrado às terças-feiras, de 9h às 11h. Nele, são ensinadas técnicas para manter a mente sempre saudável e evitar lapsos, que podem colocar o idoso em risco. Há também um curso de crochê às quartas-feiras, das 14h às 17h.

A corretora e radiologista aposentada Elisete Santos Nóbrega, 67 anos, conheceu os cursos quando acompanhou uma amiga à Deapti. "Não sabia que existia a delegacia. Vim só acompanhar e hoje venho toda semana. Já aprendi muito. Saio do Itanhangá e venho até Copacabana só para isso", conta.

No ambiente de delegacia, as conversas sobre segurança para a terceira idade são frequentes, mas também há muita distração e aprendizado. É o que garante a enfermeira aposentada Maria do Rosário Assunção, 69 anos, que é a voluntária do curso de crochê da unidade e trabalha no local há mais de dez anos. "Meu compromisso com as alunas é imenso. As atividades distraem a mente, ajudam a arejar, podem até criar uma fonte de renda alternativa", destaca.

Crimes financeiros são os mais comuns

Crimes financeiros, envolvendo furto de patrimônio, retenção do cartão de pensão e desvio do dinheiro em contas de banco representam a maioria das queixas na Deapti. Também são comuns as denúncias de maus-tratos físicos e psicológicos. Não à toa, o delegado Marcos Cipriano aconselha que a família não descuide do idoso, deixando-o sozinho por longos períodos com funcionários e cuidadores. "Mas, muitas vezes, os criminosos são os próprios familiares, que se aproveitam da vulnerabilidade, infelizmente", lamenta.

Localizada na Rua Figueiredo de Magalhães, 526, em Copacabana, junto à estação do Metrô Siqueira Campos, a Deapti tenta agora firmar novas parcerias com ONGs e voluntários. O objetivo é ampliar a grade de cursos oferecidos na especializada na terceira idade. Os interessados em participar das aulas já existentes devem fazer as inscrições gratuitamente na própria delegacia. O horário de funcionamento é de segunda a sexta, das 8h às 17h. Para mais informações sobre os cursos, os idosos devem ligar para o número de telefone 2333-6290.

Galeria de Fotos

A professora de crochê Maria do Rosário Assunção (em pé) com as alunas Elisete Santos Nóbrega (à direita) e Sandra Lúcia dos Santos Souza (centro) Alexandre Brum / Agência O Dia
Delegado da Deapti orienta familiares a não abandonarem os idosos Alexandre Brum

Comentários

Últimas de Rio de Janeiro