Livro narra bastidores da 'Farra dos Guardanapos' com Cabral e empresários

Festão em Paris, que marcou derrocada do ex-governador preso, é contado em detalhes

Por O Dia

Obra conta com infográfico, mostrando a sequência dos episódios, e galeria de fotos da festa
Obra conta com infográfico, mostrando a sequência dos episódios, e galeria de fotos da festa -

Rio - Um dos episódios mais marcantes da recente história fluminense virou livro. 'A Farra dos Guardanapos', de Silvio Barsetti, conduz o leitor entre as mesas do suntuoso jantar em homenagem a Sérgio Cabral, em Paris, até o salão de dança, onde secretários de estado e empresários que gozavam da intimidade do então governador viraram notícia se requebrando de guardanapo na cabeça.

Para Barsetti, o evento é um marco na vida política do agora presidiário Sérgio Cabral. "A festa simboliza o apogeu e a derrocada do Cabral. Na época, em 2009, ele tinha potencial para ser candidato à Presidência da República. Chegou a ser cotado como vice da Dilma", explica o autor, concluindo que o declínio do reinado de Cabral começou quando as fotos da festa foram exibidas pelo principal adversário político dele, o ex-governador Anthony Garotinho, em 2012. "Depois que vem a público aquela extravagância toda começa a derrocada".

O maior desafio de Barsetti para escrever 'A Farra dos Guardanapos', publicado pela editora Máquina de Livros, foi convencer algum dos convidados a dar um depoimento. "Ninguém quis falar. Quem esteve lá, fica se escondendo. Jura de pé junto que não estava em Paris", se diverte o autor. Os que toparam dar detalhes da festança, exigiram que o nome nunca fosse revelado. Segundo Silvio, cerca de 150 convidados de Cabral participaram do rega-bofe, realizado em uma mansão histórica na capital francesa. Os pais de Cabral e o então prefeito Eduardo Paes são citados na obra.

O livro sugere que quem bancou a festa foi a fábrica de pneus francesa Michelin. "Mas quem pagou as diárias, hospedagens e passagens aéreas de 150 pessoas, alguns agentes do estado?", questiona Silvio, ressaltando que teve gente que disse ter bancado a viagem do próprio bolso, mas não mostrou os recibos. A obra narra também as histórias das crises de ciúmes da então primeira dama, Adriana Ancelmo, atualmente em prisão domiciliar.

'A Farra dos Guardanapos' tem prefácio do jornalista Octavio Guedes, galeria de fotos da festa e um infográfico com a sequência dos episódios, para ajudar o leitor a entender tudo o que se passou em Paris, antes, durante e depois da 'Farra'. A capa e as artes são de André Hippertt.

Lançamento na quarta em Botafogo

'A Farra dos Guardanapos' será lançado na quarta-feira, na Livraria Blooks (na Praia de Botafogo 316). E traz duas novidades. Além da estreia de Sílvio Barsetti como autor, também é a primeira obra da editora Máquina de Livros.

Barsetti é jornalista com 30 anos de profissão. Iniciou a carreira no Jornal dos Sports, passou pelo Jornal do Brasil, O DIA e, por duas décadas, trabalhou na sucursal do Rio do Estado de São Paulo.

Já a Máquina de Livros surge de olho no segmento de não ficção. A editora tem em seu DNA o senso de oportunidade na escolha dos temas, característica trazida do jornalismo por seus diretores, Bruno Thys e Luiz André Alzer.

"A realidade é um inesgotável manancial de conteúdo. As histórias estão no dia a dia e nossa tarefa é, a partir das demandas do leitor, escolher as que serão trabalhadas. O leitor é o nosso único guia nesta jornada", afirma Thys. "Acreditamos firmemente que há espaço para boas histórias que resultem em excelentes livros", completa Luiz André Alzer.

Galeria de Fotos

Ação é praticada entre as passarelas 8 e 9, altura de Bonsucesso, no trecho de obras do BRT Transbrasil Maíra Coelho / Agência O Dia
Farra em Paris: a foto que ficou famosa da comemoração de secretários de Cabral com empresários REPRODUÇÃO
Obra conta com infográfico, mostrando a sequência dos episódios, e galeria de fotos da festa Reprodução
Sílvio é jornalista e faz sua estreia como escritor de livros Divulgação
'Vendedores' oferecem aparelhos por R$ 50 aos motoristas. Na maioria das vezes, eles correm entre os carros e abordam os condutores pelo vidro do veículo Maíra Coelho / Agência O Dia
Usuários de drogas (esquerda) circulam livremente Maíra Coelho / Agência O Dia
Negociação de celular é feita em plena luz do dia Maíra Coelho / Agência O Dia

Comentários

Últimas de Rio de Janeiro