Cerimônia marca encerramento da intervenção federal na segurança do Rio

Em seu discurso, o interventor Braga Netto disse que a 'missão foi cumprida' e comparou seu trabalho com o da construção de um avião em pleno voo

Por O Dia

Governador em exercício, Francisco Dornelles, entregou medalhas a militares que se destacaram nos trabalhos da Intervenção
Governador em exercício, Francisco Dornelles, entregou medalhas a militares que se destacaram nos trabalhos da Intervenção -

Rio - Uma cerimônia realizada na manhã desta quinta-feira encerrou a intervenção federal na segurança do Rio de Janeiro. O governador em exercício Francisco Dornelles, o general Braga Netto e o ministro da Justiça, Torquato Jardim, participaram da cerimônia, que aconteceu no Palácio Duque de Caxias.

Em seu discurso, o interventor Braga Netto disse que a intervenção está com a 'missão cumprida' e comparou seu trabalho com o da construção de um avião em pleno voo.

"Após dez meses de trabalho, (a intervenção) atingiu todos os objetivos propostos de maneira a recuperar a capacidade operativa dos órgãos de segurança pública e baixar os índices de criminalidade. Temos a convicção de que trilhamos um caminho difícil e incerto, mas cumprimos a missão", declarou. 

"O avião chamado intervenção taxeou, decolou, terminamos sua construção a grande altitude e completamos o percurso programado prestes a tocar o solo no destino final", concluiu o interventor.

Segundo as Forças Armadas, até agora foram empenhados 70,22%, do total do montante de R$ 1,2 bilhão destinados à intervenção. A expectativa, segundo a cúpula do Exército, é de conseguir aumentar este percentual para 90% até a próxima segunda-feira (31), quando oficialmente termina a intervenção.

Segundo o general Laelio Soares de Andrade, secretário de administração do Gabinete de Intervenção Federal, há quatro contratos em fase de conclusão. Ele espera que no início da tarde de sexta-feira estejam empenhados mais três helicópteros, sendo dois deles para a Polícia Civil e um para os Bombeiros, além de pistolas para todos os órgãos de Segurança do estado, entre outros equipamentos. As informações foram divulgadas em entrevista ao RJTV, da TV Globo.

Cerimônia de encerramento da Intervenção Federal na Segurança do Rio tem presença de governador em exercício, Francisco Dornelles, do interventor, general Braga Netto, e do ministro da Justiça, Torquato Jardim - Divulgação/ Governo do Estado do Rio

Durante a cerimônia, o interventor Braga Netto e Richard Nunes, secretário de Segurança, receberam a Medalha Tiradentes das mãos de Francisco Dornelles e do presidente em exercício da Alerj, o deputado estadual André Ceciliano. 

Autoridades participaram de cerimônia de encerramento da Intervenção Federal na Segurança do Rio no Palácio Duque de Caxias - Divulgação/ Governo do Estado do Rio

Oficialmente, a intervenção federal termina na próxima segunda-feira. O regime contará, então, com 319 dias. Houve uma redução de 20% no roubo de cargas, que foi uma prioridade do novo comando. Também houve queda nos números de roubos de rua, a pedestres e de veículos. No entanto, as mortes por intervenção policial e os índices de lesões corporais seguidas de morte aumentaram. Mais de 90 policiais militares foram assassinados em 2018. 

 

Galeria de Fotos

Governador em exercício, Francisco Dornelles, entregou medalhas a militares que se destacaram nos trabalhos da Intervenção Divulgação/ Governo do Estado do Rio
Autoridades participaram de cerimônia de encerramento da Intervenção Federal na Segurança do Rio no Palácio Duque de Caxias Divulgação/ Governo do Estado do Rio
Cerimônia de encerramento da Intervenção Federal na Segurança do Rio tem presença de governador em exercício, Francisco Dornelles, do interventor, general Braga Netto, e do ministro da Justiça, Torquato Jardim Divulgação/ Governo do Estado do Rio

Últimas de Rio de Janeiro