Morre bebê que teve crânio perfurado por prego na Zona Oeste

Criança foi atingida quando estava no colo da mãe dentro de um carro, em Paciência. O funcionário de uma obra no local, suposto autor do crime, se apresentou voluntariamente à 35ª DP (Campo Grande) para depor

Por O Dia

Exame de imagem constatou objeto alojado na cabeça do bebê
Exame de imagem constatou objeto alojado na cabeça do bebê -
Rio - Morreu na tarde desta quarta-feira, o bebê de 10 meses que teve a cabeça perfurada por um prego. A criança, identificada como Wallace Martim dos Santos, foi atingida quando estava no colo da mãe dentro de um carro, na Rua José Montenegro de Lima, em Paciência, na Zona Oeste do Rio, nesta terça-feira. O objeto teria partido de uma pistola usada para fixação de gesso.
O suposto autor do crime, funcionário de uma obra no local, se apresentou voluntariamente à 35ª DP (Campo Grande) durante a noite desta quarta-feira e prestou depoimento. "A priori, ele contou que estava tentando manusear a pistola, que é antiga, na reforma de uma casa.
O equipamento estaria travado, sem lubrificação e ele tentou disparar para o chão. Nem mesmo se atentou que tinha atingido alguém", afirmou o delegado responsável pelo caso Luis Maurício Armond. "Parece que foi uma fatalidade, mas tudo vai depender de uma perícia realizada na quinta-feira", acrescentou Armond.
Como o funcionário da obra está sendo ouvido, ainda há informações sobre a tipificação do crime. Provavelmente, ele responderá por homicídio culposo. Mas, é preciso aguardar o fim dos depoimentos, explica a Polícia Civil por meio de sua assessoria de imprensa.
Após o incidente, o menino seguiu para a UPA de Paciência e depois foi transferido para o Hospital Pedro II, em Santa Cruz. Uma tomografia computadorizada revelou que o objeto ficou alojado na cabeça dele. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, o bebê passou por uma cirurgia nesta madrugada. No entanto, não resistiu aos ferimentos e faleceu nesta tarde.
"Devido à área do cérebro atendida, os neurocirurgiões consideraram não ser possível neste momento a retirada do projétil", a secretaria informou, em nota, nesta manhã. 
No Pedro II, a mãe relatou aos médicos que o carro estava parado, quando ela escutou um estouro em um dos vidros traseiros do veículo. Ela viu que o filho estava sangrando e o levou até a UPA Paciência. A mulher disse que não tinha ninguém na rua no momento em que o automóvel foi atingido.
De acordo com as primeiras informações, o objeto teria partido de uma obra, que está sendo feita na região onde o carro estava. O pai da criança ainda tentou achar alguém no local.
"Ele parou o carro para buscar celular na oficina de um amigo, quando a mãe ouviu um forte estampido, olhou para a criança e ela estava sangrando", disse a tia do bebê, Juliana Guteman.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários