Justiça concede prisão domiciliar a condenado por morte do menino João Hélio

Carlos Roberto da Silva deixou o presídio nesta quinta-feira

Por O Dia

João Hélio tinha apenas 6 anos
João Hélio tinha apenas 6 anos -
Rio - A Justiça do Rio concedeu, na última sexta (23), prisão domiciliar a Carlos Roberto da Silva, um dos quatro condenados pela morte do menino João Hélio, arrastado por sete quilômetros por ruas da Zona Norte, em 2007. Condenado a 39 anos de prisão, ele ganhou o direito a cumprir pena em Prisão Albergue Domiciliar (PAD), com monitoramento eletrônico.
De acordo com a decisão, o condenado, que foi liberado nesta quinta-feira, deverá se recolher em casa das 22h às 6h, bem como permanecer em casa, em tempo integral, nos dias de folga, incluindo sábados, domingos e feriados; se apresentar bimestralmente a Justiça; não poderá se ausentar do estado sem autorização judicial e qualquer mudança de endereço deverá ser comunicada.
Morte chocou o país
Com seis anos na época, João Hélio estava com a mãe e a irmã passando de carro pela rua João Vicente, em Oswaldo Cruz, na Zona Norte, quando bandidos anunciaram o assalto. As duas desceram do carro mas o menino ficou preso ao cinto de segurança. Elas tentaram retirá-lo, mas os bandidos arrancaram com o menino pendurado pelo veículo.
João Hélio foi arrastado por vários bairros e não resistiu aos ferimentos. Os criminosos abandonaram o veículo em Cascadura, também na Zona Norte
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários