Banda Chakkal, da Baixada - DIVULGAÇÃO
Banda Chakkal, da BaixadaDIVULGAÇÃO
Por MARTHA IMENES
O feriado de 7 de setembro não é mais o mesmo em Magé, na Baixada Fluminense. A festa do Cadaver Motoclube deu tão certo no ano passado que na próxima semana vai ter bis. No dia 7 de setembro vai acontecer o 2º Cadaver Motofest na Praça Dr. Mário Pinheiro, em Santa Dalila. A praça fica na altura do Km 129,5 da BR-116, a Rodovia Rio-Teresópolis.

Para animar o público, estimado em duas mil pessoas, o bom e velho rock'n'roll ficará à cargo de seis bandas: Filhos de Nóca, Tiro de Prata, Chakkal, Vernissage S/A, Stigma e Outra Face. Com apoio da Prefeitura de Magé, e parceria com o quiosque Costelão de Dalila, Grill do Valle, Megallus Sonorização, Mario Motos e Delmo Bordados Design, a motofest promete agitar o final de semana na cidade. 

Os motociclistas podem ficar despreocupados, o local, além de ser coberto, tem área de camping e food trucks para hora de bater a fome quando acabar a distribuição de caldos (ervilha e carne) "no 0800" que o motoclube vai oferecer aos presentes.
E para quem não dispensa o estilo rock'n'roll, alguns estandes terão moda "rocker", com lenços, bijoux e camisetas a preços justos. Vale conferir e dar aquele capricho no visual. O evento será aberto ao meio-dia e as bandas vão começar a tocar a partir das 14h. 
Publicidade
BANDAS
Primeira a subir no palco, a Filhos de Nóca vai embalar a plateia formada pelos irmãos Almeida vindos de Caxias, na Baixada Fluminense: David, no vocal e baixo; Samuel, na guitarrista; e Lucas, na bateria. A banda vai tocar sucessos de Jimi Hendrix, Metallica, Guns and Roses, Black Sabbath, Alice in Chains e os nacionais Titãs, Cazuza, Barão Vermelho, entre muitos outros.

De Magé, também Baixada, a banda Outra Face, que tem na sua formação Andre Off (voz), Fábio Roque (guitarra/vocais), Ninde Santana (baixo) e Marcelo Huruba (bateria/vocais). O repertório tem as principais vertentes do rock e pop ao interpretar com precisão os arranjos de bandas como The Cure, The Cult, Pink Floyd, Legião Urbana, Capital Inicial, Paralamas, entre outros.

Queen, Motley Crue, Deep Purple, ZZ Top, Steppenwolf, Led Zeppelin são alguns clássicos que a Tiro de Prata vai tocar. Formada por Gabel Águia, na guitarra, Wagner Ferreira, no vocal, Pedro Van Dré, na bateria e Matheus Saluci, no baixo, a banda de São João de Meriti promete agitar os "clássicos" presentes ao evento.

Com horário previsto para 21h, a Stigma, que tem na guitarra e vocal Marcos Silva dos Santos; Paulo André Vidal Santos (guitarra), Phelipe Barbosa Cipulli (baixo) e Ely Junior (bateria), caprichou: Velvet Revolver, AC/DC, Raimundos, entre outros, estão no set list.  

Um pouco mais tarde,  23h, a banda Chakkal vai trazer Sistem of a Down, Metallica, Rage Against the Machine, Audioslave, Stone Sour, Iron Maiden para o palco. Composta por Felipe Couto (vocal), Elisson Brum (guitarra), Roger Chaves (guitarra), Evandro Cugnasca (baixo) e Luiz Paulo Rodrigues (bateria), a Chakkal também é da Baixada.

A Vernissage S/A vai encerrar a noite do motofest ao som de clássicos do rock, entre eles, Offspring, Stone Temple Pilots, Pearl Jam, Motorhead, Creedance Clearwater Revival. A Vernissage, única com membros da Zona Norte - as demais são da Baixada Fluminense - tem no vocal e guitarra, Anderson Felipe; Daniel de Castro, vocal e baixo; Fernando Leão, na guitarra, e Mario Ruas, na bateria.

No domingo, dia de arrumar o mochilão e pegar estrada de volta pra casa o motofest acabará ao meio-dia. A locução do 2º Cadaver Motofest ficará com Rafael Nascimento, aposta do MC para o evento. Quer saber um pouco mais sobre o que vai rolar? Clica na página do Facebook https://www.facebook.com/cadaver.rj/videos/2411164885875569/. 
MAS POR QUE CADAVER?
Mas por que dar o nome de Cadaver a um motoclube? A explicação é bem simples: o nome vem do latim Caro Data Vermibus, que quer dizer "a carne foi feita para ser dada aos vermes". Um dos integrantes em conversa com o DIA explicou que essa é forma de mostrar que de nada adiantam vaidades, arrogância, que todos são iguais, independente de suas posses.

E a preocupação com o social faz parte desse coletivo. Os organizadores do evento pedem aos participantes que levem 1Kg de alimento não perecível, menos sal. Os alimentos arrecadados serão distribuídos para os menos favorecidos.